Lula diz no exterior que foco de aftosa já foi debelado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, no seu programa semanal Café como o Presidente, ao falar sobre a febre aftosa no Brasil, disse que "o Brasil tem por compromisso ético internacional comunicar imediatamente quando há um caso desse. "Nós mostramos aos portugueses, mostramos aos governantes que participaram do Encontro Ibero-Americano e vamos mostrar para a Rússia que nós temos um foco. Esse foco já foi debelado. Já matamos todas as reses. Já fizemos as barreiras nas fronteiras. Eu acho que nós vamos mostrar ao mundo a eficácia e a ação do governo no sentido de não permitir que um caso isolado de febre aftosa possa prejudicar o comércio de carne do Brasil com o mundo".Lula fez esta declaração antes de iniciar viagem para a Europa. Sobre o encontro que terá com o presidente russo Vladimir Putin, o presidente brasileiro disse: "Nós temos acordos importantes com a Rússia e eu quero concretizar um apoio na área espacial. Os russos têm tecnologia e uma experiência extraordinária. O Brasil está começando em Alcântara e nós pretendemos fazer parcerias para utilizarmos os conhecimentos tecnológicos dos russos". Lula disse também que quer aproximar a economia russa da economia brasileira, mostrando a importância de parcerias com empresários brasileiros. E nós pretendemos um pouco apresentar o que é o Brasil, o potencial do Brasil, as mudanças que fizemos na legislação para podermos estabelecer parcerias e eu espero que a gente consiga uma parceria mais forte entre Rússia e Brasil".Ainda em Roma, Lula afirmou que o Brasil tem uma relação comercial com a Itália muita importante. "Mas nós achamos que pelo potencial da Itália e pelo potencial do Brasil essa relação comercial pode crescer muito. E como fizemos em Portugal, também aqui na Itália nós vamos apresentar para os empresários italianos aquilo que nós brasileiros entendemos como prioridades para o desenvolvimento do Brasil". Como exemplo, o presidente citou o projeto de lei que foi aprovado no Congresso, criando as PPPs, o fundo garantidor, as obras prioritárias no âmbito da infra-estrutura (nas estradas, ferrovias e hidrelétricas). "É para isso que nós estamos viajando. Para gerar mais riquezas, mais empregos, mais distribuição de renda e melhoria das condições de vida do povo brasileiro", disse Lula.Medalha da FAOLula também comentou o fato de ter recebido uma medalha da FAO: "Na verdade, foi "uma homenagem a toda a política social que nós fizemos, sobretudo, na política de combate à fome, na política que fazemos para a agricultura familiar. É uma revolução tanto no financiamento quanto na assistência técnica e sobretudo nos resultados, quando os trabalhadores recebem não apenas o crédito, mas assistência técnica para melhor aplicarem seus recursos. Eu acho que a medalha é uma honraria que não se deve a mérito pessoal do presidente, mas, eu acho, se deve ao povo brasileiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.