Lula diz que busca diminuir dependência do dólar--CNBC

O Brasil está discutindo com outros grandes países em desenvolvimento a possibilidade de fazer comércio com as próprias moedas para reduzir a necessidade de dólares, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira.

REUTERS

24 de setembro de 2009 | 19h00

Em visita aos Estados Unidos para o encontro do Grupo dos 20 nesta semana, Lula disse ao canal de televisão norte-americano CNBC que está preocupado com a valorização do real, que avançou 29 por cento contra o dólar neste ano.

"Sempre fico preocupado quando nossa moeda está sobrevalorizada", afirmou.

O presidente disse, no entanto, que esse é o risco de um regime de câmbio flutuante, e acrescentou que a redução na dependência ao dólar é uma maneira eficaz de manter a taxa de câmbio do país competitiva no longo prazo.

Para isso, ele reiterou que há discussões em curso com outros grandes países em desenvolvimento, como China e Índia, sobre conduzir operações comerciais através de suas próprias moedas.

"Esperamos ter um acordo até o ano que vem", disse Lula à CNBC.

Prevendo que a economia brasileira pode crescer até 5 por cento no próximo ano, Lula afirmou que o país deve ter cuidado para não desperdiçar os benefícios potenciais das enormes descobertas de petróleo realizadas em seu litoral.

Para isso, o Brasil terá de investir na experiência necessária para extrair o máximo valor possível de suas reservas de petróleo, por meio da produção de um grande conjunto de produtos ligados à energia.

"Não queremos vender petróleo bruto", afirmou ele.

(Reportagem de Pedro da Costa e Gertrude Chavez)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROLULACNBC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.