Lula diz que política econômica será diferente no 2º mandato

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva indicou no discurso de hoje no Palácio das Laranjeiras, no Rio, que sua política econômica neste segundo mandato será diferente da do primeiro mandato. "Eu disse que era preciso começar a destravar o País. Destravar o País significava a gente ter uma lógica econômica com menos tensão do que tivemos no primeiro mandato", afirmou Lula.No mesmo discurso, em outros momentos, disse que "o País não pode continuar tendo medo do aumento da demanda" e ressaltou o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) como prioridade do governo.Lula apresentou o PAC como resultado de "um bom tempo de reflexão", depois de sua reeleição. Contou que havia uma incógnita na cabeça dele sobre qual seria o destino do segundo mandato. "A história mostra que muita gente se desgasta no segundo mandato. Alguns governantes terminam o segundo mandato numa situação ruim, pagando a dívida que contraiu no primeiro mandato para ser reeleito. É preciso fazer mais e melhor", disse Lula. "Nós precisamos destravar o País", afirmou.De acordo com ele, isso "significava a gente mandar para o Congresso Nacional, construindo junto com as lideranças, todas as mudanças nos marcos regulatórios que precisamos fazer para andar mais depressa nas coisas que temos que fazer", e também definir as obras do PAC. Segundo Lula, o PAC "é um conjunto de coisas que, ao longo desses quatro anos, foram servindo quase que como demanda de todos os encontros que faziam com prefeitos, governadores, sociedade civil".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.