Lula e Blair darão impulso na rodada da OMC

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, tentarão na próxima semana dar um novo impulso político à rodada multilateral da Organização da Mundial do Comércio (OMC) por meio de uma declaração conjunta. O pronunciamento, que será apresentado após a reunião entre os dois líderes na próxima quinta-feira, ainda não foi finalizado, mas deverá conter uma forte exortação para que o impasse nas negociações da OMC seja superado com urgência, viabilizando um acordo neste ano. A reunião deverá também resultar num apoio mais explícito dos britânicos à proposta brasileira de que seja realizada uma reunião dos chefes de Estado dos principais países negociadores com o objetivo de destravar a rodada de Doha.Reunião decisivaA declaração ocorrerá justamente na véspera de uma reunião considerada decisiva para o comércio mundial. Um dia após o retorno de Lula ao Brasil, na próxima sexta-feira, será iniciado em Londres um encontro entre os principais negociadores da OMC, entre eles o ministro Celso Amorim, representantes da União Européia, Estados Unidos, Japão e India. "O Brasil é um líder entre os países em desenvolvimento e o Reino Unido é integrante da União Européia, mas os dois têm posições muito próximas na rodada da OMC", disse à Agência Estado o presidente do Comitê Brasil do parlamento britânico, deputado trabalhista Bob Blizzard. "O posicionamento conjunto de Blair e Lula pela urgência nas negociações poderá ter um peso importante na flexibilização das demandas tanto dos países ricos como dos emergentes."EncontroDurante o encontro de Lula e Blair, que será realizado entre as próximas terça e quinta-feira, serão assinados memorandos de entendimento para as áreas de ciência e tecnologia, saúde, educação e mudança climática. O governo britânico deverá ainda disponibilizar recursos para financiar a abertura de um centro de pesquisas ligado ao Programa Integrado das Nações Unidas para HIV/AIDS (Unaids) no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.