Lula e Brown apóiam Doha e pedem urgência

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, defenderam ontem a conclusão das negociações da Rodada Doha da Organização Mundial de Comércio (OMC), mas alertaram que o tempo para o fechamento de um acordo é cada vez mais curto. Em comunicado divulgado após encontro que mantiveram à margem da reunião do G-8, Lula e Brown afirmaram que "um sistema global de comércio aberto trará prosperidade para todos os países do mundo e ajudará a tirar milhões de pessoas da pobreza". "Nós acreditamos firmemente que, em uma época de incerteza econômica em escala global e altos precos de alimentos, o que precisamos fazer é abrir mercados e expandir o comércio, e não recorrer ao protecionismo", diz o comunicado.Reiterando avaliações feitas habitualmente pelo presidente Lula, a nota afirma que as negociações técnicas praticamente se esgotaram e que o fechamento de um acordo depende de decisões políticas. "Precisamos agir com firmeza imediatamente. Se não o fizermos, falharemos em relação às pessoas mais pobres do mundo. O preço do fracasso seria grande demais."

Denise Chrispim Marin, O Estadao de S.Paulo

10 de julho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.