finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Lula e Brown debatem Doha e Conselho de Segurança

Presidente brasileiro e primeiro-ministro britânico conversam por telefone

BBC

11 de julho de 2007 | 09h34

A Rodada Doha de liberalização do comércio mundial e a ambição brasileira de ganhar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU foram os principais temas de uma conversa telefônica entre o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na terça-feira, 10.Segundo fontes do Palácio do Planalto, Brown telefonou para Lula por volta das 16h30min, no primeiro contato telefônico entre os dois líderes desde que o britânico assumiu o governo, no final de junho.Como já havia dito à chanceler alemã Angela Merkel, com quem conversou por telefone na segunda-feira, Lula afirmou na conversa com Brown "que o Brasil estaria disposto a flexibilizar sua posição em relação à Rodada Doha caso União Européia e Estados Unidos fizessem o mesmo", informaram fontes oficiais.No diálogo com a chanceler alemã, Lula concordou com a sugestão de Merkel de que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, participe de uma reunião com negociadores europeus, no final da próxima semana, para conversar sobre a Rodada Doha - que ocorre no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC).No final de junho, o Brasil e a Índia se retiraram de negociações que ocorriam na Alemanha com representantes da União Européia e dos Estados Unidos. Amorim, que representava o Brasil no encontro, disse na época que Brasil e Índia consideraram inútil continuar a negociação por causa de desavenças com os europeus e americanos sobre subsídios à agricultura e barreiras comerciais.De acordo com fontes do Palácio do Planalto, Amorim vai se reunir na próxima semana com o comissário europeu de Comércio, Peter Mandelson, para conversar sobre as negociações. "Lula disse que, talvez, depois desse encontro, Brasil e União Européia possam persuadir os Estados Unidos a flexibilizar sua posição", disseram fontes do Planalto.Durante a conversa telefônica, que teve duração de aproximadamente 20 minutos, Brown também reiterou o apoio da Grã-Bretanha aos esforços do Brasil para ganhar uma vaga permanente no Conselho de Segurança."O primeiro-ministro britânico também parabenizou Lula pela atuação brasileira no combate à fome e na questão das mudanças climáticas", disseram fontes oficiais.O presidente Lula convidou o primeiro-ministro britânico a visitar o Brasil em 2008. Segundo fontes do Planalto, um dos temas a ser discutido quando Brown vier ao Brasil será a cooperação entre o país e a Grã-Bretanha em relação à África - provavelmente na área de biocombustíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.