Lula e coordenação política vêem inflação sob controle

Segundo fontes do Planalto, governo acredita que medidas preventivas estão arrefecendo pressões

Luiz Roberto Marinho, da Agência Estado,

17 de junho de 2008 | 14h28

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o grupo de coordenação política do governo, integrado por cinco ministros, concluíram, após reunião, nesta terça-feira, 17, no Palácio do Planalto, que apesar da alta da inflação, os índices inflacionários estão sob controle e o País continuará crescendo. Veja também:Entenda a crise dos alimentos  Entenda os principais índices de inflação   Segundo fontes do Planalto, o governo considerou corretas, na reunião, as medidas que classifica de preventivas para arrefecer as pressões inflacionárias e tem certeza de que estão surtindo efeito. Entre as medidas de prevenção está o aumento do IOF, da taxa básica de juros pelo Comitê de Política Monetária (Copom) e da meta de superávit primário para 4,3% do PIB. Incluem-se ainda os incentivos ao aumento da produção agrícola, a serem anunciados no fim do mês, que irão elevar a oferta interna de alimentos e gerar excedentes para exportação, aproveitando a alta das commodities. Os ajustes estão sendo feitos, concluíram os ministros da coordenação política, após detalhada exposição do ministro da Fazenda, Guido Mantega, sobre as causas da pressão inflacionária. Participaram da reunião desta terça, além de Mantega, os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo; da Casa Civil, Dilma Roussef; das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, e da Secretaria Geral da Presidência da República, Luiz Dulci. Outro tema da reunião, de acordo com assessores do Planalto, foi a denúncia da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu de que a Casa Civil fez pressões para aprovação da venda da Varig à VarigLog. O presidente Lula e os ministros da coordenação política concluíram tratar-se de uma "crise artificial", pois todas as decisões sobre a operação foram tomadas pela Justiça do Rio de Janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoAlimentosGoverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.