Lula e Kirchner querem pólo de poder para negociar com FMI

O ministro do Interior, Aníbal Fernández, afirmou hoje que a reunião entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Néstor Kirchner, no próximo dia 10, em São Paulo, " tem o objetivo de construir na região um pólo de poder tão importante que, na hora de sentar-se na mesa de negociação, tenha voz o suficientemente potente para ser escutado". No entanto, a estratégia comum entre Argentina e Brasil para negociar com os credores da dívida e com os organismos internacionais não é algo fácil, como admitiu Fernández ao comentar que "é difícil falar de tomar decisões em conjunto porque as realidades dos dois países são absolutamente distintas ". Ele destacou que "há um trabalho que pode envolver políticas macroeconômicas comuns ou desenvolvimentos comuns de estratégia que nos permitam, sempre baseados no crescimento, encontrar uma região que começa a fortalecer-se". Em entrevista à uma rádio local, Fernández se diz confiante em que ambos países conseguirão atingir esse objetivo, apesar das diferenças que existem em alguns setores mais conservadores. "A relação com Brasil tem tido subidas e descidas", reconheceu o ministro do Interior, destacando, entretanto, que os presidentes Kirchner e Lula concordam que o "Mercosul é um destino".

Agencia Estado,

01 Março 2004 | 13h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.