Lula e Morales adiam assinatura de acordos e discursos

A cerimônia de assinatura dos acordos de cooperação entre Brasil e Bolívia e os pronunciamentos dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Evo Morales foram adiados para as 19 horas, no Palácio do Planalto. A cerimônia e os discursos estavam previstos, inicialmente, para depois do almoço que o presidente brasileiro e o boliviano tiveram nesta quarta-feira, 14, no Palácio do Itamaraty. Morales cancelou a visita que faria agora à tarde ao Congresso brasileiro. Soldados da guarda já estavam a postos, à entrada do Legislativo, e os presidentes do Senado, senador Renan Calheiros, e da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia, já o aguardavam quando chegou a informação de que houvera alterações na sua agenda de compromissos, que teve um segundo encontro, não previsto, com Lula.Além do encontro com Calheiros e Chinaglia, Morales faria uma visita à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie.Pouca sorteA visita do presidente boliviano ao Brasil está envolvida em um ambiente de pouca sorte. As chuvas impediram Evo de passar em revista pela tropa da guarda presidencial e nem subir a rampa do Palácio do Planalto. Ele entrou pela garagem e encontrou o presidente Lula no salão nobre. Além disso, o mau tempo também atrasou a chegada a Brasília do avião reservado a uma boa parte da delegação boliviana. Estavam nesse vôo, cinco ministros, o presidente da Yacimientos Petrolíferos Fiscales de Bolívia (YPFB) e o embaixador do Brasil em La Paz, Frederico Araújo. Os dois países devem assinar acordos de cooperação nas áreas agrícola, de defesa, de migrações e de controle da aftosa.Matéria alterada às 17h13 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.