Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Lula e presidente do Uruguai destacam importância do Mercosul

Em nota há pouco divulgada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Uruguai, Jorge Batlle, que hoje se encontra em Brasília, assinalam a importância da manutenção e do fortalecimento do Mercosul nas negociações no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), nos entendimentos com a União Européia e no processo de negociação para criação da Área de Livre Comércio das Américas. "Reconheceram, nesse sentido, que as negociações comerciais externas do Mercosul, no âmbito multilateral e regional, constituem desafio para coesão dos Estados-partes e o aprofundamento dos temas que constam da agenda interna do Mercosul", afirma a nota. Nela, o presidente brasileiro manifesta, ainda, a disposição do governo brasileiro de apoiar solicitação feita pelo presidente uruguaio, de um financiamento do BNDES no valor de US$ 50 milhões para empresas brasileiras investirem no setor de mineração no Uruguai. Os recursos serão utilizados na mineração de quartzo e beneficiamento de silício. Por seu turno, conforme relata a nota, nos encontros que os dois presidentes tiveram hoje, no Itamaraty, onde acabam de almoçar, o presidente uruguaio disse a Lula que, se for decidido o aumento do número de integrantes do Conselho Permanente de Segurança das Nações Unidas, o Uruguai vai apoiar a candidatura brasileira a uma vaga naquele conselho. Conforme a nota, os dois presidentes discutiram as ameaças do terrorismo, do narcotráfico e do crime organizado nos âmbitos regional, nacional e internacional. A nota ressalta a necessidade de buscar, junto às instituições de financiamento internacionais, uma mudança de enfoque no sentido de que os investimentos sejam tratados separadamente das contas públicas e lograr o financiamento ou garantias que viabilizem o desenvolvimento do continente americano. Os presidentes adiantam, também, que o tema, levantado pelo Brasil, será levado à próxima reunião do G-8, em Evian, na França, em 1º de junho. Por fim, os dois presidentes relatam ter acertado uma parceria para erradicação da febre aftosa nos rebanhos localizados em áreas de fronteira e manifestam seu apoio ao Conselho Agrícola do Sul, composto pelos ministros da Agricultura do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Chile, que realizará sua primeira reunião no fim deste mês, em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.