Lula e Rodrigues inauguram fábrica de esmagamento de soja

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, participam logo mais, às 9h30, da inauguração da nova fábrica de esmagamento de soja da Cooperativa Mista dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo), em Rio Verde, Goiás. A nova fábrica irá processar 2.500 toneladas de soja por dia e com isso a cooperativa vai ampliar sua capacidade de esmagamento para 3.500 toneladas/dia.Segundo o presidente da Comigo, Antônio Chavaglia, foram investidos no empreendimento R$ 50 milhões de recursos próprios, já que o financiamento de R$ 30 milhões aprovados em junho do ano passado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ainda não foi liberado. A Comigo tem 4.200 cooperados e emprega mais de 1.600 pessoas. A área de atuação abrange Rio Verde mais oito municípios vizinhos.Chavaglia explicou que a ampliação permitirá a Comigo processar 800 mil toneladas de soja em grão por ano. A produção de óleo degomado será de 150 mil toneladas/ano, das quais 45 mil toneladas serão destinadas ao refino e o restante comercializado como óleo bruto. A produção de farelo de soja aumentará das atuais 230 mil toneladas/ano para 620 mil toneladas. "Desta produção, 300 mil toneladas devem ser exportadas principalmente para a União Européia", diz ele. A Comigo investiu também R$ 6 milhões na construção de um armazém em Jataí, que estará pronto em novembro deste ano, para receber a soja da safra 2004/05.PerdigãoÀs 11h30, Lula visita a fábrica da Perdigão, também em Rio Verde, onde participa da solenidade de assinatura do contrato de trabalho número 5 mil da empresa: o auxiliar de manutenção Advair Nicomendes Pereira. O evento contará com a participação do governador de Goiás, Marconi Perillo, além do ministro Roberto Rodrigues. O Complexo Agroindustrial da Perdigão em Rio Verde, foi inaugurado no início do ano passado e hoje é considerado o maior empregador privado do Centro-Oeste.A empresa pretende gerar mais 700 empregos diretos na região até 2006, com a expansão da capacidade de abate de aves (280 mil para 360 mil cabeças dia), e de suínos (de 3.500 para 4.000 suínos por dia). O empreendimento está sendo negociado com o governo de Goiás, pois as metas do projeto inicial que ia até 2007 já foram superadas. O investimento previsto na expansão é de R$ 170 milhões, sendo R$ 80 milhões da Perdigão e o restante dos produtores integrados ao complexo industrial (criadores de aves e suínos). A Perdigão tem 13 fábricas espalhadas pelo País e emprega 29 mil funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.