Lula está fugindo do agricultor, diz presidente da Agrishow

O presidente do Sistema Agrishow, Sérgio Magalhães, disse nesta quinta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não irá à feira de Ribeirão Preto (SP), na próxima semana, porque "está fugindo" do agricultor", em virtude da crise no setor produtivo. Magalhães disse ainda que a situação de Roberto Rodrigues à frente do Ministério da Agricultura "fica constrangedora" por ele não conseguir uma resposta do governo aos problemas dos produtores.Pelo segundo ano consecutivo, justamente no ápice dos protestos de agricultores contra o governo, Lula não participará do evento, considerado o principal evento do agronegócio na América Latina. Já Rodrigues, que nos três anos de mandato transferiu o gabinete para um estande montado no evento, este ano ficará apenas para a abertura, na próxima segunda-feira, dia 15, e deverá seguir para viagens ao exterior no decorrer da semana.Magalhães não demonstrou preocupação com a ausência de Lula, mas lamentou a de Rodrigues. "Vamos nos esforçar para que ele (Rodrigues) fique mais um tempo conosco", disse o presidente do Sistema Agrishow. Apesar de pregar um clima de otimismo nos negócios, os organizadores da feira não conseguiram esconder a preocupação com a queda nas vendas.O presidente da feira disse que torce por vendas superiores a R$ 700 milhões, nos mesmos níveis de 2005, mas fala em negócios na casa dos R$ 500 milhões. "As outras feiras realizadas até agora em 2006 foram uma tragédia de vendas. Seguramente, a Agrishow Ribeirão Preto será um pouco melhor." Bom desempenho Além da cana-de-açúcar, cujo setor é o único com boas perspectivas na agricultura, a feira deste ano volta a apostar no bom desempenho de negócios com o pequeno agricultor. São esperados 28 mil pequenos proprietários entre os 150 mil visitantes previstos para os seis dias de feira. "No ano passado, os pequenos agricultores geraram negócios de R$ 90 milhões, contra R$ 30 milhões no ano retrasado; esperamos aumentar neste ano", previu.Tentativa de salvamentoPor outro lado, para tentar "salvar" os grandes produtores de grãos, principalmente os de soja na região Centro-Oeste, os realizadores da Agrishow utilizarão a feira como palanque de defesa da antecipação para este ano da mistura de 5% do biodiesel ao diesel de petróleo (B5), prevista para 2013. Pressionarão ainda o governo para que dê incentivos fiscais que os grandes produtores de grãos do Centro-Oeste a produzirem o combustível com as mesmas isenções oferecidas aos pequenos produtores do Norte e do Nordeste.Exaltação Segundo cálculos divulgados no evento, a mistura B5 consumiria 15% da produção nacional do grão. Indagado se os produtores ainda destinariam a soja ao biodiesel quando o preço voltar a subir de preço um dos vice-presidentes da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Rubens Dias de Moraes, respondeu, exaltado: "precisamos de uma solução já, de uma canetada política; e o preço da soja nunca mais vai voltar aos níveis do passado", previu.Com cerca de 600 expositores, 60 deles do exterior, a 13ª edição da Agrishow Ribeirão Preto acontece de segunda-feira a sábado, dia 20, no Pólo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Centro-Leste. A feira é realizada das 8 horas às 18 horas e os ingressos custam R$ 15 e R$ 7,50 para estudantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.