Lula evita estimar volume de petróleo no País

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou estimar o volume de petróleo a ser produzido nos poços descobertos pela Petrobras recentemente. Questionado, durante entrevista hoje à TV Bloomberg, sobre se haveria condições de triplicar o atual volume de produção, ele desconversou. "Penso que deve ser mais do que isso, mas não tenho número exato porque a especulação na bolsa (de valores) seria muito grande", disse. Lula acrescentou que não tem interesse em que a especulação cresça nesse negócio. "É só ver crise do subprime para saber que especulação não ajuda em nenhum lugar do mundo", lembrou, referindo-se à crise no mercado financeiro dos Estados Unidos, que teve início com especulação com títulos imobiliários de segunda linha.O presidente também não respondeu à pergunta sobre o modelo que o governo utilizará para a exploração dessas descobertas brasileiras. "Isso é segredo de Estado", limitou-se a dizer. Lula disse, no entanto, que a exploração definitiva do poço de Tupi, na Bacia de Santos, litoral Sul de São Paulo, será definitiva em março. "Vamos aprofundando até o máximo. Estamos trabalhando de forma intensificada", argumentou. Ele lembrou, no entanto, que a indústria do petróleo está crescendo muito e não há equipamentos necessários disponíveis para todo o trabalho. O presidente relatou que a Petrobras está alugando 12 sondas, que custam US$ 700 mil por dia, e que o País está produzindo 38 sondas para explorar a camada de pré-sal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.