Lula inaugura fábrica da EDS/TAM em Araraquara (SP)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugura nesta tarde, em Araraquara (SP), a fábrica de software da EDS Brasil/TAM Linhas Aéreas. O investimento é o primeiro após o contrato firmado entre as empresas que prevê a terceirização, por um período de cinco anos, de parte da área de desenvolvimento e manutenção de sistemas de software da companhia aérea pela empresa de tecnologia. Pelo acordo, a TAM investirá mais de R$ 50 milhões nos próximos cinco anos no projeto de terceirização. A EDS informou que não divulgará o investimento de sua parte. No início da operação, a unidade terá 120 profissionais, mas capacidade para empregar 500 até o final de 2006, aproveitando mão-de-obra qualificada, formada em faculdades existentes na região. Cerca de 50% desses profissionais deverão ser contratados até o final de 2005. O início da cerimônia de inauguração da fábrica está previsto para às 15 horas e Lula deverá estar acompanhado pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; o ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos; além dos presidentes da EDS, Chu Tung e da TAM, Marco Antonio Bologna. A nova unidade, a quarta da EDS no País, deverá suportar futuramente cerca de 30% de todas as operações da empresa nessa área. Cerca de 55% dos analistas programadores que atuavam na TAM foram contratados pela EDS no processo de terceirização adotado pela companhia aérea. Além da TAM, a EDS poderá atender, na unidade de Araraquara, outros clientes no mercado nacional e exportar software. Antes restritas os Estados Unidos e Canadá, as exportações da empresa no Brasil devem atingir também o mercado europeu neste ano. A EDS prevê aumentar de 10% para 15% a participação das exportações no faturamento total em 2005 e chegar até 25% em 2006.Já o processo de terceirização da TAM na área de Tecnologia de Informação (TI), anunciado no início do mês, é baseado em três pontos: desenvolvimento de sistemas; telecomunicações; computação distribuída e "help desk".A inteligência dos processos e soluções tecnológicas, a definição do modelo de arquitetura técnica e a governança dos contratos ainda são de responsabilidade da própria companhia aérea. Na ação, a TAM pretende, ao otimizar os recursos internos de TI, obter redução de custos de 36% no orçamento anual da área. Além da EDS, a TAM firmou parcerias semelhantes com a Unisys para computação distribuída e help desk, e Telemar para comunicação de dados e voz, num investimento de R$ 115 milhões ao longo de cinco anos.Presidente visita centro coletor de álcool reativado pela PetrobrasO presidente Lula visita também, ainda nesta tarde, o Centro Coletor de Álcool de Araraquara (SP), um dos oito reativados pela Petrobras Distribuidora (BR), no País. As unidades captadoras, como a da cidade do interior paulista, estão em regiões produtoras de cana-de-açúcar e foram construídas na década de 80, no auge do Proálcool, e fechadas na década de 90, durante a crise do combustível após a desregulamentação do setor. De acordo com a Petrobras Distribuidora, os centros captadores serão bases de entrega do álcool para a exportação, que seguirá por meio de ferrovias para refinarias e distribuidoras, barateando assim o custo logístico. Futuramente, a empresa pretende ainda fazer com que esses centros sejam também distribuidores de álcool hidratado para postos de combustíveis da região no seu entorno.Além de Araraquara, estão sendo reativadas as unidades de Ourinhos (SP), Betim (MG), Santa Adélia (MG), Sertãozinho (SP), Paulínia (SP), Londrina (PR) e Aracaju (SE). Juntas, as oito unidades terão capacidade de estocar 95 milhões e litros de álcool anidro, que é misturado à gasolina, e hidratado. Na recuperação da unidade de Araraquara, visitada hoje por Lula, foram investidos, desde o ano passado, cerca de R$ 800 mil. O centro possui dois tanques de 5 milhões de litros cada um, seis pontos com baias para descarga de caminhões-tanque, plataforma para carregamento ferroviário com dez braços para enchimento de vagões-tanque e mais uma plataforma para carregamento rodoviário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.