Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lula instalará comitê empresarial durante visita à China

Um dos destaques da visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China, na segunda quinzena de maio, é a instalação do Comitê Empresarial Brasil-China (CEBC), cuja criação começou a ser elaborada no governo Fernando Henrique Cardoso. Pelo lado brasileiro, o comitê está sob a liderança do presidente da Companhia Vale do Rio Doce, Roger Agnelli. A Vale é parceira da Shangai Baosteel Company na Baovale Mineração, com a qual vai constuir uma usina de placas no Maranhão.Dentro das atividades preparatórias para a efetivação do Comitê pelo presidente Lula, desembarca amanhã no País uma comitiva de 44 representantes do governo e de empresas chinesas para conhecer a economia e as empresas brasileiras. O objetivo do comitê é ser um facilitador do diálogo entre empresários dos dois países.Para sexta-feira está prevista a assinatura do protocolo que trata da criação do Comitê e uma coletiva de imprensa às 11h30, que deve contar com a presença do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Pela agenda, ainda no dia 23 uma comitiva terá audiência com o presidente Lula. De acordo com informações divulgadas hoje pela Vale, faz parte da comitiva que desembarca amanhã o presidente do grupo Minmetals, Miao Gengshu (que presidirá o Comitê pelo lado Chinês), e o representante da siderúrgica BaoSteel, Guo Kezhong. A Minmetals faturou US$ 11 bilhões em 2003.Também participam da delegação chinesa a AVIC II, empresa parceira da Embraer na produção de aviões na China; a Chinatex, grande importadora de soja brasileira; e as empresas Huawei e ZTE, que têm operações no Brasil nas áreas de equipamentos de telecomunicações.

Agencia Estado,

20 de abril de 2004 | 13h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.