finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Lula mantém cautela ao falar sobre FMI e não confirma acordo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrou-se cauteloso ao tratar da renovação do acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), em almoço que ofereceu à cúpula do PMDB, no Palácio do Planalto. Na avaliação de Lula, o governo não pode abrir mão do bom relacionamento com o Fundo pois, no caso de eventuais contratempos, terá que recorrer a ele. E, apesar de afirmar que o Brasil não está dependente do FMI, ressaltou que essa discussão vai exigir consciência e maturidade da parte do governo brasileiro, que precisará ter força nas negociações. Coube ao líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), questionar se o governo renovará ou não o acordo com o Fundo. O presidente não antecipou, porém, que decisão será adotará, ressaltando que, embora o governo tenha feito o ajuste e todo o esforço, a economia ainda está frágil. Ele disse também, segundo parlamentares do PMDB, que não é o acordo com o Fundo que vai garantir ou não o combate à desigualdade social.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2003 | 19h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.