Lula: não há razão para preço atual do petróleo

Não há explicação, na avaliação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para o preço do petróleo atingir sucessivos recordes, como vem ocorrendo nos últimos meses. "O petróleo não precisaria custar o que está custando. Poderia estar na metade, que já estaria bom?, considerou hoje, durante entrevista à TV Bloomberg. O Enquanto a entrevista do presidente era exibida, eram registrados sucessivos recordes de alta do preço da commodity, que atingiu nesta tarde o valor de US$ 140,39 por barril, nova máxima histórica. Lula lembrou que os especialistas atribuem a elevação a vários fatores, como o aumento do consumo da China e o uso das reservas petrolíferas nos Estados Unidos. ?Mas temos consciência de que não precisaria estar no preço em que está?, reafirmou.Para o presidente, é preciso que os governos façam as contas levando em consideração os impactos do custo do petróleo sobre a produção de alimentos, por exemplo. Ele citou que os impactos da alta da commodity (matéria-prima) sobre os produtos alimentícios vão desde os fertilizantes até a logística, o transporte. ?Acredito que o mundo se dará conta da irresponsabilidade deste momento tanto por conta do petróleo quanto pelos alimentos?, observou, acrescentando que o Brasil vem cumprindo sua parte nessa questão. Na avaliação de Lula, esse tema precisaria entrar na discussão de todo o mundo. ?Estou indo para o encontro do G-8 para discutir o assunto?, disse, acrescentando que um dos pontos que levam ao aumento dos preços é o fato de que, desde 2001, vem-se consumindo o estoque regulador do mundo. De acordo com o presidente, as pessoas não se deram conta de que há mais chineses, indianos, africanos, brasileiros, latino-americanos comendo mais. ?Se é uma crise para alguns países, para o Brasil é grande oportunidade de se transformar em celeiro?, avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.