Lula não queria conhecer Chávez

A história da amizade entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, do Brasil, e Hugo Chávez, da Venezuela, começou em 1998, em uma salinha da Embaixada da Colômbia em Brasília.Ali, reuniram-se o candidato polêmico das eleições venezuelanas e o então presidente de honra do PT, graças a um pedido de assessores de Chávez e à difícil mediação do então governador do Distrito Federal e companheiro de Lula no PT, Cristovam Buarque."Eu expus o pedido ao Lula, que não quis saber da conversa. Ele me dizia: eu não vou me encontrar com um golpista, ainda mais com um militar", relatou, ao Estado, Buarque, hoje senador pelo PDT-DF.Lula se referia ao passado nada compromissado com a democracia do tenente-coronel Hugo Chávez, que liderou uma tentativa frustrada de golpe de Estado em 1992, para derrubar o então presidente, Carlos Andrés Perez, Por isso, Chávez acabou na prisão por dois anos."Tive de fazer um esforço para convencer o Lula. No final, acabei me tornando o cupido dessa relação", completou o senador. O encontro na embaixada colombiana foi formal. Ambos apenas se conheceram e trocaram algumas idéias.Em 2001, Lula e Chávez voltaram a se reunir, novamente sob a mediação de Cristovam Buarque, que ainda envergava a camiseta petista naquela ocasião.Dessa vez, o palco do encontro foi o Palácio Miraflores, sede do governo venezuelano, ambos protagonistas que estavam em diferentes condições. Chávez exercia o segundo ano de seu mandato como presidente eleito de seu país. Lula preparava-se para a campanha eleitoral que o levou à Presidência da República, no ano seguinte."O apoio de Chávez a Lula para as eleições de 2002 foi amarrado nesse encontro", afirmou o senador. "Desde então, são grandes amigos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.