Lula nega divergências entre Mantega e o Banco Central

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou hoje que exista uma disputa entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, sobre o ritimo da redução dos juros. Segundo Lula, se houver alguma divergência, ela será resolvida por ele. ?Nem o Banco Central está lá para divergir de Mantega, nem Mantega para divergir do BC?, disse no lançamento do Feirão da Casa Própria, realizado pela Caixa Econômica Federal, em São Paulo,. Lula também afirmou que os juros continuarão caindo e lembrou que a taxa Selic já teve sua 7ª redução consecutiva. ?Nós conquistamos condições para reduzir a Selic. Estamos com um olho na inflação e outro na queda dos juros?, afirmou. Segundo o presidente, a responsabilidade de reduzir os juros não é só do BC, mas também do governo que tem de saber gastar corretamente. Lula disse ainda que o governo precisa saber quais setores exageram nos preços. As declarações de Lula ocorrem um dia após a ata do Comitê de Política Monetária do BC ter insinuado que o gasto público obrigará o BC a ter parcimônia na queda da Selic. Em reação ao que o mercado chamou de conservadorismo da autoridade monetária, Mantega disse apenas que houve "uma interpretação" do mercado de que o ritmo da queda dos juros será menor. Já Meirelles não quis comentar o que siginifica a parcimônia na políticas de juros do Banco Central.

Agencia Estado,

28 Abril 2006 | 11h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.