Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Lula: 'o Brasil não está com medo dessa crise'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que "o Brasil não está com medo dessa crise. Nós temos a preocupação natural de um país emergente, como qualquer país emergente desse mundo. Agora, é importante saber o seguinte: nós temos US$ 160 bilhões de reservas". A afirmação foi feita hoje durante o programa semanal de Rádio, Café com o Presidente, e se refere à turbulência verificada nos mercados recentemente por conta da crise no setor de crédito imobiliário de alto risco nos Estados Unidos.Ele disse que é importante que "nós consigamos dizer para a sociedade brasileira que essa é uma crise eminentemente americana. É uma crise do setor imobiliário americano, ou seja, e de alguns fundos que compraram títulos pensando em ganhar muito dinheiro, sabe, de terceira categoria nos Estados Unidos. Então, na hora que os EUA resolverem o seu problema não terá problema no mundo".Para Lula, o Brasil está tranqüilo em relação à turbulência do mercado financeiro e que "nós temos segurança pra eventual especulação financeira". Ele disse que se deseja é que "as pessoas continuem acreditando que o País atingiu "um índice de maturidade tão grande que a seriedade não é mais uma coisa eventual, um comportamento eventual, é uma coisa definitiva. O Brasil não vai retroceder. Este país é um país sério, é um país governado com seriedade, nós aprendemos a fazer a lição de casa".O recado final de Lula no seu programa de rádio foi o seguinte: "quando muitos ficavam gritando pela imprensa que nós deveríamos gastar, nós preferimos economizar e hoje nós temos a estabilidade macroeconômica necessária, as reservas necessárias pra gente dizer: a crise que está acontecendo não vai afetar o Brasil".

MILTON F.DA ROCHA FILHO, Agencia Estado

20 de agosto de 2007 | 11h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.