Lula pede cuidado na concessão de crédito a aposentado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou hoje preocupação com o endividamento dos aposentados e pensionistas. Em solenidade comemorativa dos 85 anos da Previdência Social, no Palácio do Planalto, ele disse que o governo deve tomar "cuidado" com medidas que facilitaram o crédito no setor, como o desconto em folha e o cartão de crédito na modalidade consignado. "Vocês conquistaram cartão de crédito, conseguiram alongar o crédito consignado para 60 meses", disse. "São medidas importantes, agora, é preciso tomar cuidado".Em discurso de improviso, Lula salientou que os aposentados e pensionistas devem estar atentos ao usarem o cartão de crédito para não terem problemas no orçamento doméstico. "Essa crise americana tem um pouco a ver com cartão de crédito", citou. "Se a gente não precisar botar a mão no bolso, a gente vai gastando mais do que se tivesse de tirar uma notinha do bolso", avaliou. "Então é preciso que a gente tome cuidado com isso, viu Marinho", disse, referindo-se ao ministro da Previdência Social, Luiz Marinho.Ao fazer o alerta, o presidente fez um apelo à imprensa e a entidades do setor e cobrou do ministro Marinho campanhas de esclarecimento. "A Previdência tem de dar uma boa explicação, a imprensa tem que contribuir e acho que os aposentados têm de dizer isso", disse.Também durante a solenidade, o presidente comentou a questão do déficit da Previdência, a melhoria na expectativa de vida da população e incentivou práticas culturais na terceira idade para evitar o "tédio". Dos 21 milhões de aposentados e pensionistas do INSS, 30% já tomaram algum empréstimo desde maio de 2004, quando o governo criou o crédito consignado. No início deste mês, o INSS permitiu que os aposentados comprometessem até 10% da renda mensal com compras financiadas pelo cartão de crédito na modalidade consignado, que tem juros de 3,7% ao mês. Para isso, foi reduzido de 30% para 20% o percentual de comprometimento com o crédito consignado tradicional, com juros de 2,64%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.