Lula pede reação a aumento nos postos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou o programa de rádio ?Café com o Presidente? desta semana para incentivar a população a denunciar aumentos de preços da gasolina nos postos de combustíveis. Desde 2 de maio, está em vigor um reajuste dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias, de 10% para a gasolina e 15% para o diesel.Segundo Lula, o consumidor deve denunciar a elevação do preço nas bombas porque o governo reduziu a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para compensar o aumento nas refinarias e evitar que a alta chegasse ao consumidor. ?É importante as pessoas ficarem atentas. Se algum posto estiver aumentando, as pessoas podem denunciar, porque a gasolina não aumenta nada e o óleo diesel aumenta 8,8%?, disse Lula, lembrando que o governo reduziu a Cide sobre a gasolina de R$ 0,28 para R$ 0,18 por litro. No caso do diesel, a Cide caiu de R$ 0,07 para R$ 0,03 por litro, o que não anulará totalmente a subida de preço nas bombas.O apelo do presidente, porém, é inócuo. Os preços cobrados pelos postos são livres, conforme a legislação em vigor desde janeiro de 2002. O controle de preços existe só no início da cadeia produtiva, ou seja, da Petrobras, para as refinarias. O gerente jurídico do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Marcos Diegues, classificou como ?exercício de retórica? a declaração de Lula?. ?O presidente da República tem de dizer a quem o consumidor vai reclamar: ao bispo, ao papa?? Ele enfatizou não haver mecanismo legal que impeça os fornecedores de atribuir o preço que quiserem ao produto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.