Lula pede união em prol da produção de energia

'Podemos construir mais do que tudo o que foi construído no século passado', diz o presidente

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

05 de outubro de 2007 | 18h54

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta sexta-feira, 5, união entre os setores envolvidos na produção da energia nacional. "Precisamos sentar - governos federal, estaduais, Ibama, empresários - e desmontar o labirinto de dificuldades para que se possa produzir mais energia", disse o presidente, na inauguração da concretagem da Hidrelétrica Foz do Chapecó, no oeste catarinense.A usina fica no Rio Uruguai, que divide os municípios de Águas de Chapecó (SC) e Alpestre (RS). Fruto de um consórcio da CPFL Energia (51%), Furnas (40%) e CEEE-GT (9%), o empreendimento deverá custar R$ 2,2 bilhões, dos quais 70% serão financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A previsão é de conclusão em julho de 2010.Segundo Lula, as bacias hidrográficas brasileiras permitem que se tenha aproximadamente 264 mil megawatts. "Vamos supor que não tenha condições de construir tudo isso, mas quem tem 264 mil megawatts pode ter possibilidade de construir pelo menos a metade", ressaltou. "Podemos construir mais do que tudo o que foi construído no século passado", disse o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Lula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.