Lula pedirá a Cristina Kirchner definição sobre trigo

Em reunião com a presidente argentina nesta terça-feira, Lula vai falar sobre suspensão da exportação

Marina Guimarães, da Agência Estado,

30 de junho de 2008 | 15h29

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarca nesta segunda-feira, 30, à noite em San Miguel de Tucumán, Argentina, para a 35ª Reunião de Cúpula do Mercosul, que acontece nesta terça, a partir das 10 horas. Às 9h30, Lula terá uma reunião com a presidente argentina, Cristina Kirchner. Ele vai se antecipar ao provável pedido da Argentina para acelerar o início das obras da usina hidrelétrica de Garabi. Na semana passada, o presidente brasileiro pediu aos seus ministros informações sobre o projeto e que ele seja acelerado. A Argentina vive uma crise energética desde 2003 e nesse inverno, assim como no ano passado, o país tem evitado um colapso no fornecimento de eletricidade graças à energia que o Brasil lhe envia. Com isso, segundo fontes diplomáticas, Lula terá maior poder para exigir de Cristina uma definição de seu governo sobre as exportações de trigo ao Brasil. O país é o principal fornecedor de trigo ao mercado brasileiro, mas desde novembro do ano passado as exportações foram fechadas. Inicialmente, as travas às exportações foram para garantir o abastecimento interno em meio às altas internacionais do grão. Porém, a crise com o setor agropecuário complicou a medida estratégica de Argentina e prolongou esse fechamento das exportações até uma semana atrás. Nesse período, o Brasil teve que importar trigo do Canadá com preços mais elevados, que se refletiram diretamente no valor do pãozinho brasileiro. O presidente Lula deverá desembarcar na base aérea do aeroporto local, às 20 horas (horário de Brasília) e seguirá diretamente para a Casa Histórica de Tucumán, onde foi declarada a independência da Argentina, em 1816. No edifício, os presidentes posarão para a foto oficial e, logo depois, a presidente Cristina receberá os presidentes para um jantar, às 20h45, na sede do governo tucumano. O Conselho do Mercado Comum (CMC), que reúne os ministros da área econômica e de Relações Exteriores do Mercosul, passará o dia discutindo os últimos detalhes dos acordos que serão assinados pelos presidentes dos países sócios nesta terça. Após a conclusão da Cúpula do Mercosul, os presidentes dos 12 países integrantes da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) fazem reunião extraordinária, convocada pela presidente do Chile, Michele Bachelet. O embarque do presidente Lula de volta para Brasília está previsto para as 14 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
TrigoMercosul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.