Lula prevê auto-suficiência em petróleo até 2006

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva relembrou, durante seu discurso na solenidade dos 50 anos da Petrobras, a campanha de defesa da produção nacional de petróleo, conhecida como "o petróleo é nosso", da década de 50, e que levou à criação da Estatal. Lula saudou os que acreditaram na possibilidade de haver petróleo em terrinório nacional há meio século, "apesar dos pareceres geológicos apontarem o contrário". "A petrobras provou na prática que o petróleo, que era um sonho na época, agora é nosso", afirmou o presidente. O presidente afirmou ainda que, "se Deus quiser", até o final de seu mandato, o País vai atingir a auto-suficiência, produzindo todo o óleo consumiudo no Brasil. Ressaltou, também, a importância de a estatal ser utilizada como uma máquina de incentivo ao desenvolvimento e crescimento econômico do País, garantindo emprego na construção de novos navios, plataformas e refinarias. Lula reafirmou ainda que a exigência de 65% de conteúdo nacional nas obras e fabricação de equipamentos encomendados pela estatal será mantida para garantir a continuidade da geração de empregos. "Na gestão passada, ainda durante nossa campanha, brigamos para provar que as obras de uma plataforma poderiam ser feitas no Brasil. Isso acabou não ocorrendo e depois vimos que estávamos certos".Antes de deixar a empresa, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva acenou para uma multidão de funcionários. Lula foi saudado pelos empregados que assistiram à solenidade de um telão com o slogan da campanha presidencial: "Olê, olê, olê olá, Lula, Lula", gritaram os funcionários, enquanto o presidente, acompanhado de sua mulher, Dona Maria, acenava de um mezanino no saguão do edifício sede. O presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra e a ministra das Minas e Energia, Dilma Rousseff também foram ao saguão cumprimentar as pessoas que não puderam subir ao salão de festas no 24º andar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.