Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lula promete esforço com China e Índia para reativar Doha

Presidente diz que negociará nesta semana com presidente chinês e premiê indiano para retomar discussões

da Redação, estadao.com.br

04 de agosto de 2008 | 08h09

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira, 4, em seu programa semanal Café com o Presidente, que não acredita que a Rodada de Doha tenha fracassado e que nesta semana tentará negociar com China e Índia para tentar retomar as discussões.   Veja também: País contestará na OMC subsídios dos EUA Ouça o programa    Lula deve embarcar para China nesta semana, onde participa da abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, que começam na sexta-feira. O presidente confirmou que pretende se reunir com o presidente chinês, Hu Jintao, e por conta do fuso horário aproximado, conversar também com o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh.   Lula disse ainda que conversou no sábado com o presidente americano, George W. Bush, e pediu que o governo americano chegasse a um acordo na questão dos alimentos, pois a diferença entre os dois países - que já negociam um pacto de cooperação nuclear -, é pequena.   O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, participou do programa e afirmou que, apesar das críticas, o País levou a discussão até onde foi possível e que agora desempenha um papel de mediador. "Também em Cancún nós recebemos muitas críticas. Hoje em dia todo mundo reconhece que o G20 foi fundamental, inclusive para levar a rodada até onde ela chegou. Quer dizer, se você pegar a estrutura do acordo agrícola na rodada, é todo ele baseado nas propostas do G20."   O chanceler ressaltou que ainda é cedo para afirmar que Doha não deu certo, mas que movimentos políticos como o iniciado por Lula com o presidente americano e com outras conversas, podem reativar as negociações.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodada DohaCafé com o PresidenteLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.