Lula propõe a príncipe japonês aumento de negócios

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva propôs hoje ao príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, o aumento de negócios entre os dois países, mencionando, entre outras, as áreas de energia e tecnologia de ponta. "Nesse início de milênio, o Brasil volta a oferecer oportunidades excelentes de investimentos, nos setores de infra-estrutura, siderúrgico, eletroeletrônico e automobilístico", disse Lula.No discurso de recepção a Naruhito, no Palácio do Planalto, a primeira das cerimônias do dia em comemoração ao centenário da imigração japonesa, Lula destacou que "as parcerias entre os dois países têm de ter ambições maiores do que no passado". Segundo o presidente, "com base no que já construímos, podemos avançar mais". Lula citou a produção de biocombustíveis e a adoção do padrão japonês na TV digital brasileira como exemplos de cooperação que podem gerar novos investimentos."Num mundo marcado pela globalização e pelo multiculturalismo, a influência japonesa no Brasil é um fator positivo para novas parcerias e maior proximidade entre o Brasil e o Japão", disse o presidente da República.Depois de agradecer "as palavras calorosas" do anfitrião e lembrar que esteve no Brasil há 26 anos, quando foi recebido pelo então presidente João Figueiredo, o príncipe herdeiro do Japão afirmou que o fato de haver 1,5 milhão de brasileiros de origem japonesa no Brasil, os nikkeis, e 300 mil brasileiros no Japão, os dekasseguis, e os vários eventos comemorativos ao centenário da imigração podem contribuir para "o aumento e o fortalecimento da compreensão mútua e do relacionamento entre os dois países".Naruhito mencionou as dificuldades na agricultura dos primeiros imigrantes que desembarcaram no Porto de Santos, a bordo do navio Kasato-Maru, em 18 de junho de 1908, assinalando que, hoje, os brasileiros de origem japonesa "conquistaram posições consolidadas em vários setores, atuando com desenvoltura". Lula havia sublinhado que o Brasil abriga a maior comunidade de origem nipônica fora do Japão e " a qualidade" dos brasileiros de origem japonesa, pessoas estudiosas e trabalhadoras".ProtocoloO rígido protocolo da comitiva japonesa ficou visivelmente constrangido quando os ministros das Relações Exteriores, Celso Amorim, e das Comunicações, Hélio Costa, cumprimentaram com um aperto de mão o príncipe Naruhito após ele haver passado em revista as tropas e subido a rampa do Palácio do Planalto. Pelo protocolo japonês, o cumprimento com contato físico caberia somente ao presidente Lula, pelo cargo de chefe de Estado e de governo.

LEONENCIO NOSSA E TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

18 de junho de 2008 | 13h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.