Lula proporá em cúpula maior controle do mercado financeiro

Presidente discursa em encontro dos 22 países íbero-americanos em El Salvador e segue para Cuba ainda hoje

João Domingos, enviado especial de O Estado de S. Paulo,

30 Outubro 2008 | 12h23

O presidente Lula, no discurso que fará às 11 horas (14 horas de Brasília) na reunião de cúpula dos 22 países ibero-americanos, na capital salvadorenha, vai propor que todos os membros estudem mecanismos de controle das atividades do mercado financeiro, para evitar a especulação.  Veja também: Cuba e Brasil reforçarão cooperação durante visita de Lula Ontem, a presidente do Chile, Michele Bachelet, em discurso, chamou a atenção dos chefes de Estado participantes da cúpula afirmando que chegou a hora de todo enfrentarem a crise, que é seríssima e que os países emergentes precisam se preparar para enfrentá-la. Na mesma linha, discursaram o ex-presidente do BID Enrique Iglesias, que chamou a atenção para a gravidade da crise, e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que advertiu para o fato de que a crise vai roubar empregos. Cuba Entre os países participantes da cúpula, há uma mobilização no sentido de pedir o fim do embargo a Cuba, próximo destino do giro internacional de Lula. Ele sai de San Salvador às 19 horas de Brasília e chega em Havana às 20 horas desta quinta. Além do encontro oficial com o presidente Raúl Castro, às 21 horas, Lula poderá também avistar-se, amanhã, com o ex-presidente Fidel Castro. Na agenda de hoje de Lula está prevista ainda a assinatura de um acordo de cooperação envolvendo Petrobrás e Cuba Petróleo na prospecção petrolífera. Amanhã, às 12h30 (horário de Brasília), ele inaugura em Havana um centro de negócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex); às 13h15, visita o Estado-Maior da Defesa Civil, onde ouvirá relatos sobre os danos causados por furacões em agosto e setembro. O encontro com Fidel poderá ocorrer às 15 horas (horário de Brasília). Para as 18 horas, está previsto o embarque do presidente de volta ao Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.