Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lula recebe diretor-geral do FMI

O diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo de Rato, chegou na manhã desta terça-feira à sede do Banco Central para realizar reunião com o presidente do órgão, Henrique Meirelles. Após o encontro, De Rato irá ao Ministério da Fazenda, onde almoçará com o ministro Antonio Palocci. O diretor se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, no final da tarde, para formalizar a decisão do País de quitar antecipadamente a dívida com o Fundo, anunciada no dia 13 de dezembro. Rato chegou hoje à sede do Banco Central para realizar reunião com o presidente do órgão, Henrique MeirellesO pagamento começou no dia 22 de dezembro, com US$ 2,04 bilhões. A outra parcela foi paga no dia 23, no valor de US$ 13,40 bilhões. O montante de US$ 15,44 bilhões fazia parte da linha de crédito denominada Credit Tranche, cujos vencimentos originais se dariam até dezembro de 2007.Na época, Palocci afirmou que o pagamento só foi possível por conta de uma melhora dos fundamentos da economia brasileira, e que sua quitação não atrapalharia a relação do Brasil com o FMI. Na visão de Meirelles, o pagamento é algo que deve ser considerado "histórico" na economia do País. EstímuloA decisão tomada pelo Brasil serviu de estímulo à Argentina, que dois dias após ao pronunciamento da resolução do governo anunciou o interesse de quitar também sua dívida. Os US$ 9,810 bilhões de débito foram ressarcidos no último dia 15, quando foi paga a segunda parcela da negociação. A reserva para o pagamento argentino foi retirada do Banco Central do país e fez com que o presidente Néstor Kirchner economizasse aproximadamente de US$ 1 bilhão em juros, com o parcelamento sendo concluído em 2008.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2006 | 12h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.