Lula recebe governadores para discutir projeto de habitação

Presidente quer que sejam cedidos terrenos ao governo para reduzir custo de construção de habitações

Tânia Monteiro e Leonencio Nossa, de O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2009 | 14h57

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reservou nesta quinta-feira, 19,  boa parte de sua agenda para discutir o plano de habitação com governadores e prefeitos de grandes cidades. Lula quer pedir a eles que encontrem terrenos em seus Estados para que sejam cedidos ao governo federal para reduzir o custo de construção de habitações populares.  Veja Também: Pacote habitacional do governo deve sair em 15 dias  Cinco governadores do Norte e Nordeste estão neste momento, no Palácio do Planalto, detalhando para o governo federal o déficit habitacional em seus respectivos estados. A reunião está ocorrendo no gabinete da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, uma das coordenadoras do programa de habitação que Lula quer lançar depois do carnaval, e candidata dele à sucessão. O presidente esteve na sala da ministra para conversar com os governadores. Lula tem pressa nas conversas porque quer anunciar, após o carnaval, o plano nacional de habitação para construir um milhão de casas ate 2010, quando deixa o Planalto. Pela manhã, Lula se reuniu isoladamente, com os governadores do Rio Grande do Norte, Wilma Faria, e do Distrito Federal, José Roberto Arruda. Na conversa com Wilma, Lula ouviu que a carência de seu estado hoje é de 137 mil casas e prometeu construir até 2010 metade da demanda: 68,5 mil, de acordo com a assessoria da governadora. Do governador Arruda, Lula ouviu que há um déficit de 100 mil habitações para baixa renda, mas disse não saber que porcentagem será atendida. Afirmou, no entanto, que os locais onde as construções serão realizadas já estão definidos: Catetinho, área próxima ao Palácio do Catete, primeira residência do presidente Juscelino Kubitschek, Ceilândia, Santa Maria e Samambaia. Segundo Arruda, o que favorece as construções em Brasília é que os terrenos além de estarem em área que já dispõem de infraestrutura de transporte, energia e saneamento, pertencem à União ou ao GDF. Na conversa com o governador Arruda, Lula informou ainda quer fazer uma licitação para escolher projetos de construção para serem aplicados com tecnologia que una rapidez e economia. Lula quer que os terrenos a serem disponibilizados pelos governos e prefeituras não sejam em locais ermos, mas em áreas já habitadas, com infraestrutura. Estão reunidos no Planalto com Dilma, neste momento, os governadores do Amazonas, Eduardo Braga, da Bahia, Jacques Wagner, Pernambuco, Eduardo Campos, Piauí, Wellington Dias, e de Sergipe, Marcelo Deda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.