Lula relaciona aumento dos juros com seu torcicolo

'Não sei se foram os juros, ou o massacre sofrido pelo Corinthians, só sei que acordei com o pescoço doendo'

Raquel Massote, da Agência Estado,

17 de abril de 2008 | 12h52

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou o aumento da taxa básica de juros, a Selic, durante solenidade de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na Vila São José, em Belo Horizonte. Lula teve que se ausentar do palco por cerca de 20 minutos, queixando-se de dor no pescoço. Ao retornar, afirmou: "Não sei se foi por causa dos juros, ou se pelo massacre sofrido pelo Corinthians ontem, só sei que acordei com o pescoço doendo. Acho que tudo junto me deu torcicolo", declarou o presidente.   Veja também:    Em decisão unânime, Copom sobe taxa Selic para 11,75%  Professor do IBMEC-SP fala sobre impacto do juro maior para os investimentos   Compare a taxa básica da economia com os juros cobrados ao consumidor  Confira a evolução da Selic desde o início do governo Lula   Veja especial sobre a crise dos alimentos  Cronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos     De acordo com informações da assessoria da Presidência, as dores no pescoço começaram na quarta à noite e nesta quinta pela manhã se agravaram. Com isso, o médico que atende o presidente, Dr. Cléber Ferreira, recomendou o uso de um colar cervical durante todo o dia, para reduzir os movimentos do pescoço.

Tudo o que sabemos sobre:
JurosLulaCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.