Lula se reúne com presidente da Finlândia e critica globalização

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, em encontro com a presidente da Finlândia, Tarja Halonen, que o processo de globalização aumenta as desigualdades entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento. "A globalização é inevitável, mas isso não significa que devemos nos reconciliar, de forma fatalista, com seus efeitos perversos", disse. Lula disse que o Brasil não aceitará que "o preço da modernização do ganho em competitividade e eficiência sejam a marginalização, o empobrecimento e a desesperança daqueles que ficaram para trás".Em rápido improviso após o discurso, Lula disse que o Brasil e a Finlândia têm condições de aumentar o intercâmbio comercial e destacou que Halonen visita o Brasil acompanhada de uma comitiva de empresários que poderão conhecer as potencialidades do País. Lula lembrou dos investimentos finlandeses, como a instalação de uma fábrica de telefones celulares da Nokia, em Manaus.A presidente da Finlândia disse que os dois países têm um potencial de cooperação econômica diversificada e citou os setores florestal, de telecomunicações, energia, meio ambiente e saúde. Halonen afirmou que Brasil e Finlândia estão "tradicionalmente em estreita colaboração nas Nações Unidas e nos foros internacionais" e que ambos consideram importante a consolidação da ONU para manutenção da paz e da segurança no mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.