Lula tenta quebrar barreiras contra a carne na Coréia

Durante um encontro com empresários sul-coreanos realizado hoje, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o fim das barreiras à carne brasileira é uma das prioridades nas relações comerciais entre os dois países. A Coréia do Sul impõe barreiras à carne bovina brasileira por causa dos casos de febre aftosa constatados no País. Ele explicou que o Brasil é um País de grandes dimensões, com várias regiões livres da aftosa. A expectativa de Brasília é que os sul-coreanos passem a adotar o critério regional para avaliar a incidência da doença, e não tomando como base o País como um todo. O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, manifestou um grande otimismo com as perspectivas de exportação de frango brasileiro para a Coréia do Sul, que foram autorizadas pelo governo em abril passado. Ele calcula que elas poderão somar no futuro cerca de US$ 250 milhões anuais. No entanto, ele considera que liberação da entrada da carne de boi no mercado sul-coreano ainda vai demorar algum tempo. O Brasil e a Coréia do Sul assinaram hoje um protocolo para a criação de um comitê ministerial consultivo voltado para o setor agrícola. Esse comitê bilateral terá o objetivo de estimular uma aproximação nas áreas tecnológica, sanitária e comercial.

Agencia Estado,

25 Maio 2005 | 11h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.