Lula vai propor ação mundial conta inflação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai defender na reunião dos sete países mais desenvolvidos mais a Rússia (G-8), nos dias 7 e 8 de julho, uma ação coordenada dos governos para conter a especulação nos mercados futuros de commodities de alimentos, metais e petróleo.A preocupação é tema recorrente nas avaliações internas da equipe econômica e ganhou destaque na reunião do presidente com ministros e economistas de fora do governo para discutir a inflação, semana passada.A avaliação do governo é que essa especulação, originada nos mercados internacionais, sobretudo na Bolsa de Chicago - principal centro financeiro mundial de negociações de commodities -, vem alimentado um ciclo negativo de pressão de alta dos preços, com impacto em todos os países. Quanto mais os preços sobem nesses mercados futuros, maior volume de recursos, antes aplicados em outros ativos financeiros, como títulos públicos, migra para as commodities.Segundo fontes ouvidas pelo Estado, Lula deve ressaltar no encontro do G-8 que, sem ação coordenada em escala global, combinada entre os países, os riscos de novos aumentos devem perdurar e se espalhar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

22 de junho de 2008 | 10h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.