Lula vê boa vontade da UE, EUA e G20 para acordo de Doha

Brasil e União Européia estãootimistas de que um acordo na Rodada de Doha de livre comércioserá alcançado logo, disse o presidente Luiz Inácio Lula daSilva na quarta-feira. "Não se espantem se logo a gente tiver um acordo na Rodadade Doha", disse Lula a jornalistas após se reunir com opresidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, emBrasília. Grande acordos comerciais levam tempo para serem negociadose são complicados de alcançar porque há muitos interessesdiferentes, disse Lula. O presidente justificou seu otimismodizendo que há boa vontade dos Estados Unidos, da UniãoEuropéia e do G20 (grupo dos países em desenvolvimento) nessemomento. "Eu vejo, como vê o presidente Barroso, com muito otimismoa possibilidade de concretizarmos um acordo na Rodada de Doha",acrescentou Lula. O Brasil, um dos maiores produtores mundiais de produtosagrícolas, é um importante participante nas negociações deDoha, representando os interesses dos países emdesenvolvimento. Lançada em 2001, a Rodada de Doha para ampliar o comércioglobal e reduzir a pobreza não tem avançado pela falta deacordo sobre subsídios agrícolas e tarifas de importação. Mas as conversas mostraram alguns sinais de progresso nosúltimos dias. Na segunda-feira, a comissária européia para aagricultura, Mariann Fischer Boel, disse que uma reuniãoministerial poderia acontecer no fim de abril ou início de maiopara tratar de compromissos das áreas centrais da negociação. O Brasil tem firmado posição pelo corte nos subsídiosagrícolas que os Estados Unidos e a União Européia concedem aseus produtores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.