Lula viaja a Nova Délhi para debater crise e Rodada Doha

Brasil, Índia e África do Sul devem assinar documentos firmando acordos trilaterais em nove áreas

Com agências internacionais,

14 de outubro de 2008 | 09h23

Após visitar a Espanha, onde se encontrou com o rei Juan Carlos e com o presidente José Luis Rodrigues Zapatero e recebeu o prêmio "Don Quijote de la Mancha", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se dirige a Nova Délhi, na Índia. Ele chegará à capital indiana na noite desta terça, 14, onde participará amanhã da 3ª Cúpula do Fórum de Diálogo Ibas (Índia, Brasil e África do Sul). Durante o encontro, Lula discutirá, segundo informações do Palácio do Planalto, com autoridades da Índia e da África do Sul a crise financeira internacional e insistirá na necessidade de reabertura das negociações da Rodada Doha. O Brasil e a Índia ainda esperam um resultado positivo das negociações da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) até o final deste ano, segundo um comunicado conjunto divulgado pelo ministro da Indústria e Comércio indiano, Kamal Nath, e pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim. Ambos se reuniram na noite de segunda-feira, 13, em Nova Délhi para trocar impressões sobre o estágio atual das negociações. Os dois países "acreditam que ainda é possível concluir [as negociações] antes do final do ano e reafirmaram seu compromisso para atingir tal resultado", diz o comunicado. A Rodada Doha, iniciada há sete anos na capital do Qatar, foi suspensa em julho, depois que a China e a Índia exigiram o direito de elevar tarifas para proteger seus mercados domésticos contra uma enxurrada de produtos importados. Na quarta, 15, de manhã, antes da abertura da reunião de cúpula, o presidente brasileiro terá encontro com o presidente da África do Sul, Kgalema Motlanthe, e uma reunião com este e com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, e os ministros das Relações Exteriores dos três países. Durante as reuniões da cúpula, eles assinarão nove documentos sobre cooperação trilateral nas áreas do meio ambiente, turismo, propriedade intelectual, ciência e tecnologia, assentamentos humanos, igualdade de gênero, normas e regulamentos técnicos, transporte marítimo e aviação civil. O presidente brasileiro reafirmará, durante a reunião de Nova Délhi, o interesse brasileiro em aprofundar a cooperação no setor de biocombustíveis, inclusive no desenvolvimento da produção de etanol em terceiros países, informou o porta-voz do Palácio do Planalto, Marcelo Baumbach, em entrevista coletiva antes do início da viagem de Lula. Lula reafirmará também, segundo o porta-voz, seu ponto de vista de que é necessária a reabertura negociações comerciais da Rodada Doha, da Organização Mundial do Comércio (OMC), na busca de uma solução "equilibrada em salvaguardas especiais" para países em desenvolvimento. Baumbach informou que, no entender do governo brasileiro, concluir a rodada seria "essencial", porque isso enviaria um "forte sinal positivo" de capacidade de articulação da comunidade internacional e também ajudaria a minimizar os efeitos da crise financeira sobre a economia real. Lula partirá de Nova Délhi para Maputo, capital de Moçambique (África), às 23 horas (horário local) desta quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.