Lula volta a defender mudanças no sistema financeiro mundial

Presidente disse que o seu governo tem procurado incentivar o setor produtivo para enfrentar a crise

Leonencio Nossa, enviado especial,

30 de janeiro de 2009 | 15h11

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender mudanças no sistema financeiro internacional e nos organismos internacionais, especialmente na estrutura das Nações Unidas.   Veja também: De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise     "Essa crise tem de mudar tudo. Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, por exemplo, são os maiores vendedores de armas do mundo", teria dito o presidente, de acordo com relato de um dos participantes do encontro com integrantes do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial, em Belém (PA).   No encontro, Lula disse que o seu governo tem procurado incentivar o setor produtivo para enfrentar a crise, enquanto outros países estão socorrendo bancos.   Ele defendeu também a participação de novos interlocutores nas negociações de paz entre israelenses e palestinos. "É preciso ampliar o debate. Não podemos ter os mesmos mediadores de sempre.", teria afirmado o presidente, ainda segundo relato de um dos participantes. Para o presidente, os Estados Unidos não conseguirão resolver sozinhos o conflito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.