Lula volta a pedir menos barreiras no comércio exterior

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender, durante discurso na Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocamar) de Maringá, no Paraná, que o governo brasileiro pretende lutar contra os subsídios e barreiras tarifárias impostas pelos países desenvolvidos aos produtos brasileiros. Depois de participar da inauguração da fábrica de sucos da cooperativa, o presidente fez um discurso em que prometeu "brigar" na Organização Mundial do Comércio (OMC) para ampliar o acesso dos produtos brasileiros aos mercados internacionais. Acompanhado dos ministros da Agricultura, Roberto Rodrigues, e do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, o presidente insistiu que o argumento defendido pelos países desenvolvidos, de uma política de comércio livre, deve servir para todas as nações. "Não acreditamos na idéia de que o mercado tem de ser livre se quando chega na hora do Brasil vender os seus produtos, cada um coloca obstáculos para dificultar a entrada dos nossos", disse. Lula lembrou que o Brasil deverá este ano elevar mais uma vez as exportações de produtos agrícolas. Entretanto, o presidente lembrou que o desafio do governo não é simplesmente aumentar as exportações. "Temos outra tarefa heróica", disse. Segundo ele, o desafio de Furlan e Rodrigues será brigar na OMC para que as barreiras tarifárias impostas pelos Estados Unidos e países da Europa não impeçam a entrada dos produtos brasileiros nestes mercados. Após a visita em Maringá, Lula segue para Londrina, onde visitará a exposição agropecuária da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.