Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lula volta a prometer construção de 1 milhão de casas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a prometer hoje a construção de um milhão de casas no País. Durante cerimônia de lançamento de programa habitacional em Goiânia, Lula disse que, "se o número de cadastrados (no programa Minha Casa, Minha Vida) ultrapassar esse milhão, nós vamos arrumar dinheiro para fazer mais casas".

TÂNIA MONTEIRO, ENVIADA ESPECIAL, Agencia Estado

13 de agosto de 2009 | 19h40

"Aprendi uma lição: que a coisa mais barata e mais fácil é governar para os pobres. O Alcides (governador Alcides Rodrigues), o Íris (prefeito de Goiânia, Íris Rezende) e o Meirelles (presidente do Banco Central) sabem disso. Cada vez que entra um grande empresário no gabinete, o mínimo que ele quer é milhão. E se a gente não pode dar, ainda sai falando mal da gente. As pessoas pobres não querem milhão. Querem viver dignamente, querem ter o direito elementar de comer três vezes ao dia, querem casa. E a pergunta que faço é por que não foi feito durante tanto tempo tudo isso? Eram todos diplomados, todos letrados", completou Lula, ironizando governantes anteriores.

O presidente disse que, em 2003, quando assumiu o governo, o País não tinha credibilidade, dinheiro para pagar suas importações e havia sido desmontada a máquina administrativa. "A inflação estava na casa dos 12% indo para os 17%. Era preciso dar um jeito, consertar o País. Passados sete anos, devolvemos tudo ao FMI (Fundo Monetário Internacional) e agora emprestamos US$ 10 bilhões. Agora é ele que deve ao Brasil", disse.

Lula lembrou ainda que a construção civil esteve paralisada por 20 anos e disse que, com ajuda do Congresso, a legislação foi modificada para facilitar a vida da construção civil, setor que, segundo ele, "vai crescer como nunca, gerando emprego".

Durante seu discurso, Lula comentou que, quando ganhou as eleições, deitava-se na cama do Palácio da Alvorada e ficava pensando se seria capaz de governar e resolver os problemas do País. "Hoje, posso olhar na cara de cada um de vocês e repetir uma frase do Obama (Barack Obama, presidente dos EUA): sim, nós podemos governar esse país e fazer muito mais", disse Lula, acrescentando que qualquer um pode se preparar, se tiver vontade, para governar o País. "O governante não tem que governar só com o cérebro, mas com o sentimento do coração", disse.

Lula defendeu ainda que as mulheres tenham seu próprio emprego e renda, aprendam uma profissão para saírem de casa e serem valorizadas. "O trabalho de casa é o pior trabalho, porque a pessoa trabalha até morrer e não é reconhecida. Não tem trabalho mais cretino, mais cansativo. A mulher tem que viver com o homem porque gosta dele e não porque depende dele", acrescentou.

O presidente afirmou também que vai entregar ao próximo governante, em 2011, um País diferente, em que o pobre nunca foi tão respeitado. Segundo ele, na eleição passada, alguém lhe dizia que os formadores de opinião não o deixariam vencer. "Acabou a era dos formadores de opinião. Quem informa agora é o povo. O povo não acredita mais em mentira", disse, completando: "Os governantes que se habituaram a mentir para vocês, acabou".

Tudo o que sabemos sobre:
habitaçãoLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.