Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Lula:indústria conseguiu conviver com valorização do real

A mensagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviada hoje ao Congresso Nacional diz que a indústria brasileira tem conseguido conviver bem com o processo de valorização do real. "Até o presente momento a indústria brasileira tem conseguido adequar-se bem à valorização cambial, por meio do corte de custos e do aumento da produtividade", afirma a Presidência da República.Para referendar o raciocínio, o documento destaca que 22 dos 27 setores industriais registraram crescimento na produção até novembro. "E dentre os que registraram queda, vários não têm qualquer relação com o câmbio", acrescenta o texto, sem mencionar que setores que tiveram queda na produção não têm relação com o câmbio. É importante mencionar, porém, que o indicador de produção industrial inclui a produção voltada para o mercado interno e externo.O texto reconhece que boa parte das exportações brasileiras tem crescido impulsionada pela alta no preço das commodities. Em relação à queda no saldo da balança comercial em 2007, classificada de "pequena", a Presidência atribui o movimento ao crescimento mais forte das importações.O documento coloca a balança comercial como o fator básico da consistência das contas externas brasileiras, considerado um dos pilares da solidez macroeconômica do País. De acordo com a Presidência, as contas externas sólidas são de suma importância para o País ser menos vulnerável a mudanças nos fluxos de capitais estrangeiros. "É por este motivo que a crise financeira internacional iniciada em meados de 2007, apesar de seu forte impacto sobre o sistema financeiro e o crescimento de alguns países desenvolvidos, teve efeitos relativamente limitados sobre o Brasil, não comprometendo a trajetória de crescimento de nossa economia", afirma.

FABIO GRANER, Agencia Estado

06 de fevereiro de 2008 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.