finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Lupi admite efeito da crise no emprego formal no País

Ministro do Trabalho diz que saldo de vagas em outubro ainda será positivo, mas menor que o esperado

Isabel Sobral, da Agência Estado,

19 de novembro de 2008 | 19h00

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, informou que anunciará nesta quinta-feira, 20, às 11 horas, os números de outubro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e que o saldo de novos empregos ainda será positivo. O ministro, porém, admitiu pela primeira vez, que o número de novos empregos será menor do que o esperado por ele. Lupi vinha dizendo que, apesar da crise financeira internacional, o mercado formal de trabalho no Brasil não seria afetado neste ano. "Ainda vamos anunciar (amanhã) um número positivo, mas menor que a média que esperávamos. O crescimento (do número de empregos) não foi o que eu previa. Essa redução é reflexo da pisada no freio de alguns setores", disse o ministro, sem antecipar números. Ele citou como exemplos de setores que desaceleraram a contratação de mão-de-obra o automotivo, o de autopeças e alguns segmentos agrícolas. Em outubro do ano passado, o Caged registrou a abertura de 205.260 novas vagas com carteira assinada. De janeiro a setembro deste ano, o total de empregos criados foi de 2,086 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.