Lupi prevê aumento menor do emprego com alta da Selic

Sem citar números, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, admitiu hoje reflexos negativos da alta da Selic, taxa de juro básica, no crescimento do emprego formal, pela possível redução dos investimentos das empresas, mas previu que tal efeito só irá ocorrer no final do ano.O ministro do Trabalho considerou "precipitada" a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que elevou em 0,50 ponto porcentual a taxa Selic. "Foi um erro esse aumento, mas quem decide é o Banco Central. Quem sabe nos próximos meses o Banco Central reduz a taxa?", indagou.Lupi anunciou, mais cedo, novos índices de crescimento dos empregos com carteira assinada, que atingiram, em março, 206.556 novas vagas, 41% mais do que em março de 2007 e recorde para o mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.