M. Lynch demite vice-presidente por recusa a depor sobre Enron

A Merrill Lynch demitiu seu vice-chairman, Thomas W. Davis, porque ele se recusou a prestar depoimento numa investigação do Departamento de Justiça e da SEC (Securities and Exchange Commission, a CVM norte-americana) sobre várias transações financeiras polêmicas que a Merrill realizou com a Enron Corp em 1999. A Merrill também demitiu Schuyler Tilney, um diretor da área de banco de investimento, que trabalhou em contato próximo com a Enron, pelo mesmo motivo.Em comunicado distribuído esta tarde, a Merrill afirma que, embora lamente a ação, está colocando em prática sua "política de exigir a total cooperação de seus funcionários com as investigações". A empresa acrescentou que não tem conhecimento de que seus funcionários tenham agido de forma irregular nas relações com a Enron. "A Merrill Lynch continua a cooperar totalmente com as investigações", diz a nota. Davis deveria se aposentar em novembro e Tilney foi afastado administrativamente em julho, depois de se recusar a depor no Congresso sobre a Enron.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.