M. Lynch rebaixa Itaú de "compra" para "neutro"

O Merrill Lynch rebaixou a sua recomendação sobre as ações do Banco Itaú SA de "compra" para "neutro", citando o risco Brasil. Os investidores têm castigado as ações brasileiras há meses, em meio a receios com relação à economia global e com o resultados das eleições presidenciais. O Merrill acredita que o Itaú obterá lucros de seus investimentos no terceiro trimestre, mas a instituição brasileira também detém muitos títulos de dívida do governo. "Nós não podemos ignorar as preocupações do mercado com o risco de reestruturação da dívida (do governo). Nesse caso, as ações dos bancos não ofereceriam abrigo suficiente", informou o Merrill em nota. Ao mesmo tempo, as recentes medidas do Banco Central para proteger a moeda local estão "causando impacto cada vez maior sobre o setor de bancos privados", afirmou o Merrill. A decisão ontem de elevar a Selic para 21% "indica que o BC abandonou sua política de tentar reduzir a pressão sobre o câmbio com intervenção em moeda estrangeira e permissão da depreciação e agora acrescenta a política monetária ao conjunto", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.