Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Madoff se declara culpado de fraude nos EUA e volta à cadeia

Justiça deve decidir em 16 de junho se o condena a 150 anos de prisão pelo esquema de pirâmide financeira

AP

12 de março de 2009 | 11h20

O especulador americano Bernard Madoff se declarou culpado nesta quinta-feira, 12, pelos 11 crimes pelos quais é acusado em um tribunal federal de Nova York. Ele é acusado de promover uma fraude no esquema de pirâmide financeira no valor de US$ 50 bilhões. Após o fim da audiência, o juiz federal Denny Chain decidiu revogar o regime de prisão domiciliar no qual ele estava desde dezembro, quando pagou US$ 7 milhões para escapar da prisão. Ele voltou para a cadeia hoje. Depois do anúncio, aplausos irromperam pela sala do tribunal.   Veja também:  Entenda como funcionava o esquema de pirâmide financeira  As vítimas da fraude armada por Bernard Madoff    Entre os crimes estão fraude com ações, em assessoria de investimento e em transferências bancárias, fraude postal, declarações falsas, perjúrio, informação falsa à comissão da bolsa de valores (SEC, em inglês), roubo de fundos de investimento de trabalhadores e três crimes de lavagem de dinheiro. Em conjunto, todos eles preveem uma condenação de até 150 anos de prisão, o que equivaleria a uma pena perpétua. O anúncio da sentença está marcado para o dia 16 de junho.   "Eu estou grato pela oportunidade de poder falar em público sobre meus crimes, pelos quais estou arrependido e profundamente envergonhado", disse Madoff  ao admitir a culpa ao juiz.   Durante a audiência, Madoff admitiu que começou a organizar a fraude no início dos anos 90 para ganhar dinheiro em meio à recessão que afetava a economia americana. "Conforme os anos foram passando, eu percebi que este dia inevitavelmente chegaria. Não consigo expressar adequadamente o quanto estou arrependido", completou Madoff.O ex-presidente da bolsa americana Nasdaq, de 70 anos, estava em prisão domiciliar há três meses desde que o FBI descobriu o esquema. A fraude evaporou fortunas e envolvia desde grandes bancos mundiais a instituições de caridade e celebridades americanas. Dois dos investidores no fundo de Madoff cometeram suicídio. No total, mais de 4 mil clientes, entre pessoas físicas e jurídicas, foram envolvidos no esquema. Entre os nomes mais conhecidos que levaram prejuízo do especulador estão o cineasta Steven Spielberg, o apresentador Larry King e o atores Kevin Bacon e John Malkovich, além dos bancos Santander e HSBC, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Universidade de Nova York (NYU).O esquemaBernard Madoff, operador renomado de Wall Street e fundador da Bernard L. Madoff Investment Securities LLC, foi preso no dia 11 de dezembro acusado de estar por trás de um esquema multibilionário e fraudulento de pirâmide financeira conhecido como Ponzi. A fraude era feita da seguinte forma: a empresa de Madoff atraía os investidores oferecendo níveis de rentabilidade que chegavam a 1% ao mês, ou seja, mais de 10% de retorno no investimento por ano. Ele, então, utilizava o dinheiro desses novos investidores para pagar clientes antigos, que queriam resgatar os recursos aplicados. O esquema funcionava porque os rendimentos não eram pagos aos investidores todo mês, apenas acompanhado por eles. Esse dinheiro só seria devolvido ao cliente quando este resgatasse seu investimento. O problema é que, diante de grande demanda por resgates em decorrência da crise financeira, o fundo de Madoff ficou sem dinheiro para pagar os investidores e a fraude veio à tona.

Tudo o que sabemos sobre:
Madoffpirâmide financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.