Dida Sampaio/Estadão - 6/9/2019
Dida Sampaio/Estadão - 6/9/2019

Mãe do empresário Luciano Hang morre por complicações da covid-19

Regina Hang tinha 82 anos e estava na UTI do Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo; bolsonarista, o dono da Havan apoia o uso da hidroxicloroquina e da ivermectina

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2021 | 15h54

Regina Modesti Hang, de 82 anos, mãe do dono da Havan, Luciano Hang, morreu nesta quinta-feira, 4, em São Paulo, por complicações da covid-19. A idosa estava internada na UTI do Hospital Sancta Maggiore, da rede Prevent Senior, no bairro do Morumbi, após apresentar um quadro febril no dia 27 de dezembro. O diagnóstico apontou que ela chegou a ficar com 95% do pulmão comprometido. 

Nas redes sociais, Hang lamentou a perda da mãe. "A dor de perder uma mãe é inexplicável, é um buraco enorme que se abre no peito, mas logo será preenchido por saudades e boas lembranças dos momentos únicos que compartilhamos juntos", escreveu em um post no Instagram, após agradecer a todos os profissionais que estiveram com Regina nos últimos dias. 

Em nota, a assessoria da Havan informou que a celebração de despedida "será em família". "Era nossa 'cliente número 1', a primeira a comprar em cada filial inaugurada pelo Brasil. Cozinheira de mão cheia, todas as terças-feiras fazia questão de cozinhar, recepcionar a família e os convidados da Havan. A dor desta grande perda não é sentida apenas pela família Hang, mas dividida entre a grande família Havan. Dona Regina ficará marcada por sua simplicidade e generosidade, na memória e no coração dos que passaram por sua vida", disse a empresa em nota. Ela deixa dois filhos, João Luiz e Luciano, noras, netos e bisnetos.

Procurada, a assessoria da rede Prevent Senior não quis se pronunciar "por questões éticas e jurídicas".

Hang também foi infectado

O empresário recebeu alta hospitalar em 20 de janeiro após ser diagnosticado com o novo coronavírus, junto com a mulher. Ele ficou internado por 10 dias no mesmo hospital onde a mãe esteve. 

Em publicação no Instagram na época, em que apareceu deixando a unidade de saúde, Hang celebrou a alta. “A vida é uma só e temos que lutar com todas as forças para preservá-la. Prefiro pecar pelo excesso do que errar sem ao menos tentar. Hoje o sentimento é de gratidão. Obrigado a todos pelas mensagens de carinho. Vocês me emocionam!”, escreveu. Antes, ele havia feito uma live na rede social, em que contou que permaneceu assintomático.

Tratamento precoce

Ao lado de outros empresários bolsonaristas, Hang tem promovido tratamentos sem comprovação científica como forma de prevenção à covid-19, como o uso da hidroxicloroquina (remédio utilizado no tratamento da malária) e da ivermectina (vermífugo).

O empresário de Santa Catarina, que tem 3,4 milhões de seguidores apenas no Instagram, também fez postagens críticas à CoronaVac, vacina aprovada em 17 de janeiro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Na live feita no dia em que recebeu alta do hospital, Hang afirmou acreditar na eficácia das vacinas contra covid-19, mas voltou a defender o uso de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da doença. 

"Eu sou a favor da vacina, do tratamento… tratamentos, tratamentos", declarou, enquanto segurava uma folha de papel onde se lia "Vacina e tratamentos preventivos e precoce". Os chamados tratamentos preventivos ou tratamentos precoces não têm eficácia comprovada contra o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.