Magazine Luiza compra o site Jovem Nerd, a 17ª aquisição desde o ano passado

Fundado em 2002 por Alexandre Ottoni e Deive Pazos, o 'Jovem Nerd' produz conteúdo sobre cultura, como cinema, séries, games, história e ciência

Felipe Laurence, Fernando Scheller e Heloísa Scognamiglio - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Magazine Luiza anunciou nesta quarta-feira, 14, a aquisição do Jovem Nerd, a maior plataforma multimídia voltada para o público nerd e geek do País. Os valores da transação não foram informados. É mais um movimento na longa lista de aquisições do Magalu - são 17, desde o início do ano passado -, que se destaca de operações anteriores por ser exclusivamente voltado ao conteúdo.

Fundado em 2002 por Alexandre Ottoni e Deive Pazos, o Jovem Nerd produz conteúdo sobre diversos temas da cultura nerd, entre eles cinema, séries, games, história e ciência, e que vai ao ar em seus programas NerdCast, NerdOffice, NerdBunker, NerdPlayer e Nerdologia. O Jovem Nerd tem participado, por exemplo, de eventos como a transmissão do Oscar, no canal pago TNT.

Os valores da transação não foram informados Foto: Magazine Luiza/Divulgação

A máquina de compras de empresas do Magazine Luiza continua bastante acelerada em meio à pandemia. Somente em 2021, contando o Jovem Nerd, já foram seis aquisições. As demais foram: Steal the Look (tendências de moda e beleza), Vip Commerce (solução para e-commerce por supermercados), Tô no Lucro (app de entregas forte em Estados como Tocantins e Goiás), Grand Chef (serviço de delivery criado no Paraná) e Smart Hint (de recomendação de compra).

Continua após a publicidade

É um movimento que já era bastante relevante no ano passado,  quando a empresa fez um total de 11 aquisições, nos setores de vendas (como o site de livros Estante Virtual), tecnologia em publicidade (como a InLoco Media) e finanças (Hub Fintech). Anteriormente, em uma disputa acirrada com a Centauro, havia comprado a Netshoes.

Todas as aquisições ajudam na estratégia da companhia de se tornar um marketplace de vendas, com ofertas de uma variedade de produtos muito maior do que a linha de eletrodomésticos à qual a varejista era originalmente associada. A companhia busca também ser um "super app", com soluções não só de comércio, mas também de outros serviços e finanças.

Alcance com o público jovem

Com mais de 5,5 milhões de inscritos em seus canais no YouTube, os programas já superaram a marca de 1 bilhão de visualizações no serviço. Além disso, o Jovem Nerd também está presente nas principais redes sociais, com mais de 1,3 milhão de seguidores no Instagram e cerca de 3 milhões no Twitter. Em 2019, o NerdCast foi o primeiro podcast do Brasil, e o terceiro do mundo, a ultrapassar a marca de um bilhão de downloads.

O conteúdo produzido pelo Jovem Nerd, tanto em formato de áudio, vídeo, texto e jogos, continuará sendo disponibilizado através dos canais atuais e a liberdade editorial da criação será mantida, segundo comunicado. Adicionalmente, o conteúdo da plataforma será integrado ao aplicativo da Magazine Luiza, ampliando o seu alcance e aumentando o tempo de uso do aplicativo. 

Confira as aquisições do Magazine Luiza desde 2020

2020

2021

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O que o Magazine Luiza quer com o Jovem Nerd e outras aquisições; leia análise

Varejista realizou mais de 20 compras estratégicas desde 2017, em setores como educação, marketing e mídia e entretenimento; entenda o que há por trás dessa estratégia

Alberto Serrentino* - O Estado de S.Paulo

A recente trajetória do Magazine Luiza, tornou a empresa uma máquina de aquisições em série. Para compreendê-la é preciso associá-la ao processo de transformação do varejo e seus modelos de negócio. Essa evolução, que teve grande aceleração desde a pandemia de covid-19, vem aumentando penetração, influência e impacto do mundo digital sobre o negócio. Também vem ampliando o domínio de marketplaces, tornando-os um dos pilares para evolução de modelos de negócio que se tornam plataformas e ecossistemas. 

Magalu fez 17 aquisições entre 2020 e 2021 Foto: JF Diorio/ Estadão

Os exemplos mais maduros de ecossistemas estão na China, onde empresas como Alibaba, Tencent, Jd.com e Suning escalaram modelos de negócio baseados em grandes bases de clientes e dados com elevada recorrência, tecnologia e logística proprietárias e integram varejo, e-commerce, marketplaces, serviços, mídia, entretenimento e pagamentos, com crescimento exponencial baseado em ativos de terceiros e aquisições/ investimentos estratégicos. 

Continua após a publicidade

A realidade brasileira é atualmente de uma escalada na digitalização do varejo, aumento de penetração em todas as categorias e crescimento desproporcional dos marketplaces. Em 2020, 84% das vendas online no Brasil foram realizadas por empresas que operam marketplaces. 

Quando uma empresa de varejo passa a ter o marketplace como sua principal avenida de crescimento, ela gradualmente torna-se uma empresa de serviços.

O Magazine Luiza já não pode mais ser definido como uma empresa de varejo, está se transformando em um ecossistema de negócios. Para acelerar o processo de mudança, sua estratégia tem como eixo importante as aquisições estratégicas, que podem ser divididas em dois grandes grupos: incorporação de negócios de varejo e marketplaces que ampliam base de clientes, recorrência e volume de vendas; e componentes que fortalecem infraestrutura, serviços, arquitetura, incorporam talentos e aceleram processos de inovação.

A empresa realizou mais de 20 aquisições estratégicas desde 2017, envolvendo negócios de varejo, e-commerce (Netshoes, Zattini, Shoestock, Estante Virtual, Época Cosméticos, tonolucro, aiqfome); serviços financeiros (Hub Fintech); logística (logbee, GLF, sinclog); infraestrutura e sistemas (HubSales, Integra Commerce, SoftBox, Stoq, Grand Chef, SmartHint, Vip Commerce, SmartHint); educação (ComSchool); marketing (inlocomedia), conteúdo, mídia e entretenimento (Steal the Look, Canaltech, Jovem Nerd).

As empresas adquiridas integram-se às plataformas de serviços Magalu Pagamentos, Magalupay, Magalu Ads, Magalu Entregas, Luizacred, Luizaseg, Consórcio Magalu, Parceiro Magalu, Maga+ e ao Luizalabs, centro nervoso de tecnologia e inovação da empresa. 

O horizonte competitivo do Magalu será com outras plataformas e ecossistemas e seu valor de mercado alcança múltiplos de empresas de tecnologia e serviços.

* Fundador da Varese Retail. Consultor, palestrante internacional, autor e conselheiro de empresas

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Magazine Luiza obtém vitória no Cade em queda de braço com o Mercado Livre

Varejista havia comprado a fintech Hub Prepaid, mas rival entrou com recurso no órgão de concorrência, que foi negado

Lorenna Rodrigues - O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – O tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou nesta quarta-feira, 14, recurso apresentado pelo Mercado Pago, empresa de pagamentos do Mercado Livre, e manteve a aprovação da compra da fintech Hub Prepaid pela Magalu Pagamentos, da Magazine Luiza. O Magalu está em uma "corrida" de aquisições – na manhã desta quarta, comprou, por exemplo, o site de conteúdos para o mundo geek Jovem Nerd.

A operação já havia sido aprovada, sem restrições, pela superintendência-geral do Cade, mas foi levada ao tribunal após a apresentação do recurso pelo Mercado Pago. A alegação foi que a Hub prestava serviços financeiros para o Mercado Livre e detém informações importantes sobre a empresa, que poderiam ser passadas para a concorrente Magalu, e que o Cade não investigou suficientemente essa questão.

Continua após a publicidade

Os valores da transação não foram informados Foto: Magazine Luiza/Divulgação

Os conselheiros, no entanto, entenderam que a questão da troca de informações não cabe ao Cade e que a operação não traz prejuízos à concorrência e mantiveram a aprovação. Em dezembro do ano passado, a Magazine Luiza, por meio de sua subsidiária Magalu Pagamentos, anunciou a compra de 100% da instituição de pagamentos Hub Prepaid Participações por R$ 290 milhões.

A empresa adquirida tem mais de 250 colaboradores e cerca de 4 milhões de contas digitais e cartões pré-pago ativos, que movimentaram aproximadamente R$ 6,6 bilhões em 2020.

Na época, a Magalu disse que, após a integração com a Hub, os clientes do MagaluPay – pessoas físicas e jurídicas – passarão a contar com a plataforma de produtos e serviços financeiros do mercado, gratuita e de forma integrada com o aplicativo da empresa. Entre os serviços que serão oferecidos pela Megalu com o negócio está a abertura de conta digital para realizar compras, depósitos, transferências , pagamentos e saques, além de serviços como recargas de celular e vale-transporte.

Veja, a seguir, a lista de aquisições do Magazine Luiza nos anos de 2020 e 2021:

2020

2021

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.