Magalu
Magalu

Magazine Luiza chega ao Rio com plano de abrir 50 lojas e campanha com Anitta

Varejista inaugura os primeiros pontos de venda na semana que vem, na capital e cidades vizinhas; com o movimento, rede estará presente em 22 Estados e vai avançar na estratégia digital

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2021 | 12h54
Atualizado 30 de junho de 2021 | 17h53

Mais de uma década depois de estrear em São Paulo abrindo 50 lojas num único dia, o Magazine Luiza quer repetir essa estratégia de impacto no Rio de Janeiro, porém em ritmo mais lento. Na próxima semana, a companhia inaugura 23 pontos de venda no Estado, começando pela capital e cidades vizinhas como Niterói, Petrópolis e Belford Roxo.  

Até dezembro, serão mais 27 lojas no Estado do Rio, em duas ondas de abertura, totalizando 50 lojas e gerando 3 mil novos postos de trabalho. A empresa não revela o valor do investimento.

“Nos últimos três anos definimos a estratégia de expansão: em 2018 abrimos loja no Maranhão e Goiás, em 2019 fomos para o Mato Grosso e, no ano passado, para o Distrito Federal”, lembra Fabrício Garcia, vice-presidente de operações da varejista. O próximo Estado, depois do Rio, deve ser o Espírito Santo, mas não neste ano, diz ele.

Com a chegada ao Rio, o segundo maior mercado consumidor do País, a varejista avança na sua cobertura nacional, estando presente em 22 Estados com  mais de 1.350 lojas. Os pontos de venda serão integrados ao ecossistema da companhia, que inclui site, Super App e um marketplace que reúne quase 50 mil vendedores.

A abertura de lojas físicas no Rio dá musculatura para o Magalu avançar na estratégia digital. As lojas vão funcionar como minicentros de distribuição de produtos comprados no e-commerce.  Já vendemos para o Rio por meio do e-commerce, só que a nossa experiência é muito melhor onde temos loja, a gente reduz o prazo e permite que o cliente retire o produto na loja”, explica Eduardo Galanternick, vice-presidente de Negócios.

Um centro de distribuição de 30 mil metros quadrados em Duque de Caxias (RJ), que já vinha sendo  usado para o despacho das mercadorias compradas online, irá também abastecer as novas lojas. Até o final do ano, a empresa pretende ampliar esse espaço para 80 mil metros quadrados, a fim de suportar a expansão dos negócios físicos e online no Estado.Essa expansão do CD será usada para sustentar a abertura de lojas no Espírito Santo, a médio prazo.

"O Magalu está fazendo a coisa certa: entrar de forma fulminante para ganhar relevância no mercado", afirma o consultor de varejo Eugênio Foganholo, sócio da Mixxer Desenvolvimento Empresarial. Ele observa que no segmento de eletromóvel, onde a empresa atua nas lojas físicas, é muito importante causar impacto.

Na análise de Galanternick, a entrada com um grande número de lojas ocorre por causa da importância do mercado e do custo maior de operação nas grandes capitais que precisa ser diluído. Aliás, Garcia diz que a pandemia adiou a estreia no Rio. O lado bom foi que criou oportunidade de boas negociações dos pontos.

 

Concorrência

Foganholo lembra que, no passado, o Estado e a cidade do Rio de Janeiro foram dominados pelo Ponto Frio. Mas essa marca  perdeu relevância. "Hoje o Rio é uma praça meio sem dono em eletromóveis." Tanto a Americanas como a Casa&Vídeo ocuparam parte desse espaço: vendem eletrônicos, mas não os outros produtos das lojas de eletromóvel.  Com as lojas físicas, o Magalu vai conquistar essa fatia de mercado.Galanternick diz que cada Estado tem a sua peculiaridade e que o mercado em que atua é muito competitivo.

O consultor também frisa a importância que a loja física tem para turbinar os negócios online da companhia. "A probabilidade de aumentar a importância do marketplace cresce significativamente." Cada vez mais, as pessoas querem comprar no online e retirar o produto na loja, argumenta.

Agrados

Está nos planos da companhia a digitalização de espaços públicos da cidade, com disponibilização de rede Wi-Fi em grandes centros, além da reforma de ônibus articulados (BRTs) e distribuição de guarda-sol. Mil bikes personalizadas da marca em parceria com a empresa Tembici, que opera o modal urbano na cidade, estarão disponíveis de forma gratuita por sete dias para novos usuários.

A campanha que anuncia a chegada do Magalu ao Rio será protagonizada pela cantora Anitta e pela Lu, influenciadora virtual da empresa. A cantora será a estrela de um clipe. “A parceria com a Anitta vai ajudar o Magalu a ganhar o coração do morador do Rio de Janeiro”, afirma Ana Paula Rodrigues, diretora de marketing do Magalu, em comunicado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.