Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Magazine Luiza é a marca mais admirada por consumidores, diz ranking do Ibevar

Varejista venceu nas categorias de eletroeletrônicos e comércio eletrônico em geral; para chegar ao resultado, Ibevar analisou mais de um milhão de mensagens postadas nas redes sociais

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2020 | 21h47

A Magazine Luiza foi apontada como a marca de varejo mais admirada pelos consumidores, de acordo com o ranking 2020 divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Fundação Instituto de Administração (Ibevar/Fia). A Magalu venceu em duas categorias: eletroeletrônicos e no comércio eletrônico em geral. 

No setor atacadista, a liderança ficou para a marca Assaí; Cacau Show, venceu em alimentos; Carrefour, hiper e supermercados; Centauro, esporte; Leroy Merlin, materiais de construção, entre outros. Ao todo, foram apontadas as marcas mais admiradas em 17 segmentos do varejo. Para chegar a esses resultados, o Ibevar analisou mais de um milhão de mensagens postadas na redes sociais (textos e vídeos) que envolveram as varejistas. A partir desses dados, identificou as conotações positivas e negativas envolvendo as marcas.

Para Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Ibevar, mais importante que avaliar o faturamento das companhias, é entender como elas são vistas por seus consumidores. “A concorrência do varejo é acirrada, o que possibilita ao público escolher entre diversas marcas em diferentes segmentos. Hoje, a etapa de consideração é uma das mais disputadas dentro da jornada de compra.”

O ranking deste ano trouxe também as empresas mais admiradas para se trabalhar, a partir das impressões de equipes e colaboradores. As grandes vencedoras nesse quesito foram Leroy Merlin, Magazine Luiza e O Boticário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.