Magazine Luiza/Divulgação
Magazine Luiza/Divulgação

Magazine Luiza obtém vitória no Cade em queda de braço com o Mercado Livre

Varejista havia comprado a fintech Hub Prepaid, mas rival entrou com recurso no órgão de concorrência, que foi negado

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2021 | 13h00

BRASÍLIA – O tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou nesta quarta-feira, 14, recurso apresentado pelo Mercado Pago, empresa de pagamentos do Mercado Livre, e manteve a aprovação da compra da fintech Hub Prepaid pela Magalu Pagamentos, da Magazine Luiza. O Magalu está em uma "corrida" de aquisições – na manhã desta quarta, comprou, por exemplo, o site de conteúdos para o mundo geek Jovem Nerd.

A operação já havia sido aprovada, sem restrições, pela superintendência-geral do Cade, mas foi levada ao tribunal após a apresentação do recurso pelo Mercado Pago. A alegação foi que a Hub prestava serviços financeiros para o Mercado Livre e detém informações importantes sobre a empresa, que poderiam ser passadas para a concorrente Magalu, e que o Cade não investigou suficientemente essa questão.

Os conselheiros, no entanto, entenderam que a questão da troca de informações não cabe ao Cade e que a operação não traz prejuízos à concorrência e mantiveram a aprovação. Em dezembro do ano passado, a Magazine Luiza, por meio de sua subsidiária Magalu Pagamentos, anunciou a compra de 100% da instituição de pagamentos Hub Prepaid Participações por R$ 290 milhões.

A empresa adquirida tem mais de 250 colaboradores e cerca de 4 milhões de contas digitais e cartões pré-pago ativos, que movimentaram aproximadamente R$ 6,6 bilhões em 2020.

Na época, a Magalu disse que, após a integração com a Hub, os clientes do MagaluPay – pessoas físicas e jurídicas – passarão a contar com a plataforma de produtos e serviços financeiros do mercado, gratuita e de forma integrada com o aplicativo da empresa. Entre os serviços que serão oferecidos pela Megalu com o negócio está a abertura de conta digital para realizar compras, depósitos, transferências , pagamentos e saques, além de serviços como recargas de celular e vale-transporte.

Veja, a seguir, a lista de aquisições do Magazine Luiza nos anos de 2020 e 2021:

2020

2021

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.